Asteroide mais forte do que uma bomba nuclear em direção à Terra no final de janeiro de 2022

em direção à Terra
Impacto de asteróide (ilustração artística). (crédito: Ruuttu/Flickr)

Um grande asteroide comparável em tamanho com o Monumento de Washington está vindo na direção da Terra no final de janeiro, de acordo com o rastreador de asteroides da NASA. Embora seja improvável que atinja, um impacto com um asteroide desse tamanho pode ser muito pior do que a maioria das bombas nucleares.

Conhecido como 2017 XC62, estima-se que este asteroide varie entre 84 metros e 190 metros de tamanho e deve passar pela Terra em 24 de janeiro a uma velocidade de cerca de 4,31 quilômetros por segundo. No entanto, é improvável que realmente impacte, pois está programado para voar a mais de 7 milhões de quilômetros da superfície da Terra. Para comparação, a distância entre a Terra e a Lua é de cerca de 384.000 quilômetros.

Leia mais:

O MESSIAS IRÁ CHEGAR NO PRÓXIMO ANO! AFIRMA RABINO EM ISRAEL

Isso é sorte, já que o tamanho máximo estimado do asteroide é de 190 metros de diâmetro.

Booking.com

A ÚLTIMA vez que um grande asteroide atingiu o planeta foi em 2013 na Rússia, quando um asteroide de 17 metros explodiu na atmosfera.

em direção à Terra
Um asteróide é visto colidindo com um planeta nesta representação artística. (crédito: PIXABAY)

Mas o último impacto de um asteroide deste tamanho foi em 1908 acima do rio Podkamennaya Tunguska, na Rússia, no que agora ficou conhecido como o evento Tunguska.

Acredita-se que este asteroide tenha aproximadamente o mesmo tamanho de 2017 XC62, se não menor. 

Quando o asteróide explodiu no ar a vários quilômetros acima, produziu uma explosão maciça de 12 megatons, causando destruição generalizada por milhares de quilômetros. Isso a tornaria cerca de 800 vezes mais poderosa que “Little Boy”, a bomba atômica de aproximadamente 15 quilotons detonada durante a Segunda Guerra Mundial em Hiroshima, e 600 vezes mais que “Fat Man”, a bomba de 20 quilotons detonada sobre Nagasaki três dias mais tarde.

Assista Os Milagres da Guerra dos seis Dias

O número de mortos no evento de Tunguska foi extremamente baixo, devido ao quão remota e escassamente povoada era a região. Mas os danos ainda eram evidentes, com cerca de 80 milhões de árvores completamente derrubadas por ventos de cerca de 27 km por segundo. Tremores e ondas de rádio foram sentidos até mesmo em Washington e na Indonésia.

Os poucos relatos de testemunhas oculares que existem relataram a explosão aterrorizante, ventos fortes e tremores.

“O céu se dividiu em dois e o fogo apareceu alto e amplo sobre a floresta”, contou um homem que estava cerca de 65 quilômetros ao sul da explosão.

Canal de notícias de Israel no YouTube clique aqui

“A fenda no céu ficou maior e todo o lado norte foi coberto de fogo”, disse ele. “Naquele momento fiquei com tanto calor que não aguentei como se minha camisa estivesse pegando fogo; do lado norte, onde estava o fogo, veio um calor forte. Eu queria arrancar minha camisa e jogá-la no chão, mas então o céu se fechou, e um baque forte soou, e eu fui arremessado a alguns metros, perdi os sentidos por um momento, mas então minha esposa saiu correndo e me levou até a casa.

O evento de Tunguska é o maior da história registrada – embora pré-históricos maiores tenham acontecido – e é uma das maiores explosões já registradas, muito mais poderosas do que muitas bombas nucleares.

Se 2017 XC62 atingir, pode causar algo semelhante.

De acordo com pesquisas do Davidson Institute of Science, o braço educacional do Weizmann Institute of Science de Israel, um asteroide com mais de 140 metros de diâmetro liberaria uma quantidade de energia pelo menos mil vezes maior do que a energia liberada pela primeira bomba atômica. Algo ainda maior – com mais de 300 metros de largura como o asteroide Apophis – poderia destruir um continente inteiro. Um asteróide com mais de um quilômetro de largura pode desencadear um cataclismo mundial.

Felizmente, o 2017 XC62 não representa nenhum perigo real para a Terra neste momento, e a NASA está confiante de que a Terra está a salvo de um impacto de asteroide no próximo século.

Fonte:

5 comentários em “Asteroide mais forte do que uma bomba nuclear em direção à Terra no final de janeiro de 2022”

  1. Esse negócio de Messias vai chegar dia tal e qual ou :já nasceu e está entre nós,isso é coisa de rabino judeu.Bem falou o Senhor Jesus que ninguém sabe o dia e a hora.E que a sua vinda será repentina e invisível para a Igreja e depois visível com poder e grande glória para o mundo todo,mas de uma maneira bem visível e repentina.Nada de programado para chegar a tantas horas do dia tal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.