O uso de mísseis no ataque ao shopping é uma mensagem da russia para o ocidente

ataque ao shopping

O mais recente de uma série de horrores na Ucrânia aconteceu nesta semana, quando o poder de fogo russo caiu sobre civis em um shopping movimentado longe da linha de frente de uma guerra em seu quinto mês.

O momento provavelmente não foi uma coincidência.

Enquanto grande parte da guerra no leste da Ucrânia está escondida da vista, a brutalidade dos ataques de mísseis russos em um shopping na cidade central de Kremenchuk e em edifícios residenciais na capital, Kyiv, desdobrou-se à vista do mundo e especialmente do Ocidente. líderes se reuniram para um trio de cúpulas na Europa.

Os ataques foram uma mensagem do presidente russo, Vladimir Putin, enquanto o Ocidente procurava armar a Ucrânia com armas mais eficazes para reforçar sua resistência e colocar a Ucrânia no caminho para ingressar na União Europeia.

O prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, sugeriu isso quando mísseis atingiram a capital em 26 de junho, três dias depois que os líderes da UE concordaram por unanimidade em tornar a Ucrânia candidata à adesão.

Foi “talvez um ataque simbólico”, já que as principais potências econômicas do Grupo dos Sete e, em seguida, os líderes da Otan se prepararam para se reunir e aplicar mais pressão sobre Moscou, disse ele. Pelo menos seis pessoas foram mortas no ataque de Kyiv, que atingiu um prédio de apartamentos.

LEIA MAIS
Enxames ‘bíblicos’ de grilos gigantes devastam plantações nos EUA
OTAN Oriente Médio não está atualmente em negociações 
A pior versão do COVID está se espalhando

O ex-comandante geral das forças do Exército dos EUA na Europa, o tenente-general aposentado Ben Hodges, foi mais longe ao conectar o ataque e as reuniões. “Os russos estão humilhando os líderes do Ocidente”, disse ele.

Um dia após o ataque de Kyiv, enquanto os líderes do G-7 se reuniam na Alemanha para discutir mais apoio à Ucrânia durante sua cúpula anual, a Rússia disparou mísseis em um shopping lotado na cidade ucraniana central de Kremenchuk, matando pelo menos 19 pessoas.

O momento de ambos os ataques pareceu ser proposital com as reuniões europeias do presidente dos EUA, Joe Biden, do primeiro-ministro britânico Boris Johnson, do chanceler alemão Olaf Scholz e do presidente francês Emmanuel Macron, todos apoiadores da Ucrânia.

ataque ao shopping

Desafiando as evidências, Putin e seus funcionários negam que a Rússia tenha atingido áreas residenciais. Putin negou que as forças russas tenham atacado o shopping Kremenchuk, dizendo que foi direcionado a um depósito de armas próximo. Mas autoridades e testemunhas ucranianas disseram que um míssil atingiu diretamente o shopping.

Não foi a primeira vez que explosões de violência foram amplamente vistas como sinais do descontentamento de Moscou. No final de abril, mísseis russos atingiram Kyiv apenas uma hora depois que o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy deu uma entrevista coletiva com o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres.

“Isso diz muito sobre a verdadeira atitude da Rússia em relação às instituições globais”, disse Zelenskyy na época. O prefeito de Kyiv chamou o ataque de uma maneira de Putin dar o “dedo do meio”.

O presidente russo alertou recentemente que Moscou atacaria alvos que havia poupado até agora se o Ocidente fornecesse à Ucrânia armas que pudessem chegar à Rússia. Se Kyiv receber foguetes de longo alcance, a Rússia “tirará conclusões apropriadas e usará nossos meios de destruição, que temos em abundância”, disse Putin.

Na sexta-feira, um dia depois que as forças russas fizeram uma retirada de alto nível da Ilha Snake, perto da cidade portuária de Odesa, no Mar Negro, após o que a Ucrânia chamou de uma barragem de ataques de artilharia e mísseis, a Rússia bombardeou áreas residenciais em um cidade costeira perto de Odesa e matou pelo menos 21 pessoas, incluindo duas crianças.

Embora as mensagens da Rússia possam ser contundentes e devastadoras, os sinais da Ucrânia sob Zelenskyy têm se concentrado diariamente na tentativa de ampliar a crueldade de Moscou para um mundo que dia a dia corre o risco de se cansar da guerra.

Nosso grupo de Notícias clique aqui
O melhor curso de Inglês clique AQUI 👈

Se o interesse diminuir, o apoio combinado visto nas cúpulas globais também pode diminuir. e com ela a urgência de entregar as armas mais pesadas que a Ucrânia anseia.

Zelenskyy tende a combinar pedidos de mais ajuda com lembretes de que toda a Europa está em jogo.

Ele descreveu o ataque ao shopping como “um dos ataques terroristas mais ousados ​​da história europeia”.

Apesar de todo o sofrimento indiscutível da Ucrânia, foi uma declaração ousada de alguma hipérbole no contexto de ataques extremistas com mortes em massa em Paris, Nice, Bruxelas, Madri e Londres somente neste século.

Para Zelenskyy e Ucrânia, a exigência subjacente não pode ser reiterada o suficiente: fornecer mais armas pesadas e mais rápido, antes que a Rússia talvez consiga ganhos irreversíveis na região industrial oriental de Donbas, onde a luta rua a rua continua.

Em seus discursos públicos noturnos, Zelenskyy também se certifica de capturar o impacto traumático na vida cotidiana na Ucrânia, atraindo muito além dos líderes globais para o mundo em geral.

Esta semana, ele acusou a Rússia de sabotar “as tentativas das pessoas de viver uma vida normal”.