Ataques misteriosos com seringas na França

Nas últimas semanas, vários casos suspeitos de possível envenenamento por GHB e ataques com seringas durante a noite nas boates foram relatados na França.

Desde o outono passado, vários casos suspeitos de envenenamento por GHB, com ou sem seringa, foram relatados. Mas, de acordo com a polícia, os testes realizados não revelaram vestígios da chamada droga de estupro.

No passado sábado, em Neuchâtel, uma festa de estudantes universitários, que reuniu cerca de 500 jovens, exigiu a intervenção da polícia, alertando para um possível envenenamento por GHB. Sete jovens sentiram-se mal e apresentaram os mesmos sintomas: fortes dores de estômago, vômitos, fala arrastada e baixa temperatura corporal. No entanto, na ausência de triagem positiva e agressão comprovada, nenhum procedimento foi iniciado.

Casos misteriosos de ataques com seringas

Os investigadores centram a sua atenção sobretudo na multiplicação de casos misteriosos de picadas, sem necessariamente estarem ligados ao GHB.

“Nas últimas semanas, tivemos indícios de jovens voltando de festas e dizendo que foram atacados. Pedimos as vítimas a ir à polícia e ao hospital para saber mais e poder determinar as melhores medidas para lidar com isso”, disse Sami Hafsi, chefe de polícia do de Neuchâtel.

A ameaça também é levada a sério pelas casas noturnas. “Estamos nos antecipando por meio de buscas maiores do que costumamos fazer. Mas, por enquanto, ainda não encontramos pessoas com seringas. Se encontrarmos iremos denunciar à polícia”, explica Thierry Wegmüller , presidente da associação La Belle Nuit e proprietário do D! Clube em Lausanne.

LEIA MAIS:
Os inimigos de Israel irão falir com defesa a laser de Israel
Cientistas recebem sinais misteriosos do espaço
Israel simula ataque maciço ao Irã com centenas de aeronaves

Em ao menos sete cidades francesas, incluindo Paris, mais de cem investigações por “administração de substância nociva” foram abertas, aponta reportagem desta semana da BBC News.  

Diante do risco de ser picado na multidão, outros cuidados são necessários. “É algo que me assusta bastante. Por reflexo, mantenho meu casaco, mesmo sabendo que é inútil, mas sempre o mantenho comigo”, confidencia uma jovem.

E a amiga continua: “Acho que o importante é ficarmos um pouco juntos para nos protegermos entre amigos, porque inevitavelmente, acho que isso acontece em situações em que as pessoas estão um pouco sozinhas”.

Outros casos também foram relatados em outros países da Europa.

.