Israel irá bombardear palácios se as operações do Irã continuarem

Israel ameaçou o presidente sírio, Basher al-Assad, de bombardear seus palácios se ele não cessar ou reduzir a cooperação militar com o Irã em seu território, informou o site de notícias árabe Elaph na segunda-feira.

O Jerusalem Post não conseguiu confirmar de forma independente a dramática história em desenvolvimento, embora tenha solicitado uma resposta das IDF, e o relatório pode se encaixar nos esforços israelenses em andamento para se livrar de uma ameaça iraniana incorporada na Síria.

Elaph está sediada em Londres e é propriedade de sauditas que têm um relacionamento misto com a liderança saudita, mas foi usado no passado por autoridades israelenses para alcançar o mundo árabe, incluindo uma famosa primeira entrevista para uma publicação saudita pelo então chefe da IDF Gadi Eisenkot em 2017.

Eisenkot disse a Elaph que o IDF e os sauditas estavam compartilhando inteligência continuamente.

De acordo com uma tradução para o inglês de um artigo do Elaph em árabe, “soube de uma fonte sênior que Israel enviou uma mensagem ao presidente sírio Bashar al-Assad, alertando-o contra continuar a encobrir as operações do Irã em seu país e a transferência de armas de qualidade para a Síria, e informou-o de que um de seus palácios seria um alvo no próximo ataque realizado por combatentes israelenses na Síria”.

Bombardeio de Damasco

A suposta ameaça ocorre dias depois que Israel supostamente bombardeou o Aeroporto Internacional de Damasco , visando carregamentos de armas iranianas avançadas transportadas pela Guarda Revolucionária Iraniana para a Síria em aviões civis.

A ImageSat International (ISI) e a Maxar Technologies publicaram fotos do impacto do ataque na noite de sexta-feira, horas depois que o Ministério dos Transportes da Síria anunciou que o aeroporto fora da capital síria estava suspendendo voos devido a interrupções técnicas.

A agência de notícias estatal SANA da Síria afirmou que Israel realizou ataques contra alvos ao sul de Damasco por volta das 4h20 da manhã de sexta-feira, ferindo uma pessoa e causando danos materiais.

As imagens de satélite mostraram três crateras de impacto nas pistas militares e civis, tornando-as inoperantes e “desativando todo o aeroporto até o reparo”, disse o ISI.

LEIA MAIS
Israel se prepara para ataque iraniano na Turquia
Cientista iraniano morre durante missão na base norte do Irã
Temores de guerra nuclear, alerta Israel

Resposta russa

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, condenou os ataques aéreos, dizendo que tais ações colocam em perigo companhias aéreas civis.

A representante do Ministério das Relações Exteriores da Rússia , Maria Zakharova, disse: “Somos compelidos a reiterar que o contínuo bombardeio israelense do território da República Árabe Síria, em violação das normas básicas do direito internacional, é absolutamente inaceitável um ataque ao objeto mais importante da infraestrutura civil síria”.

Tais “ações irresponsáveis ​​criam sérios riscos para o tráfego aéreo internacional e colocam a vida de pessoas inocentes em perigo real”, continuou ela, acrescentando que “exigimos do lado israelense que pare com essa prática cruel”.

Foi o terceiro ataque contra alvos na Síria atribuído a Israel em menos de uma semana e foi considerado uma escalada na “guerra entre guerras” de Israel para interditar e destruir a presença militar do Irã na Síria, especialmente em relação a armas avançadas.

Elaph disse que a escalada também ocorreu quando as relações entre Israel e Rússia se deterioraram um pouco com a guerra na Ucrânia, levando Moscou a dar ao Irã uma mão mais livre em suas operações na Síria.

Até agora, a Rússia havia exercido uma força moderadora sobre a presença do Irã na Síria .