Físico implora aos colegas que não construam outro grande colisor de Hádrons

colisor de partículas

Com base no sucesso do LHC, muitos cientistas estão agora empolgados em construir algo maior e melhor, um colisor de partículas que pode acabar sendo quase quatro vezes maior – e custar US$ 25 bilhões para ser construído .

O colisor de partículas de alta energia de 25 km do CERN na Suíça, levou a algumas descobertas inovadoras no mundo da física teórica, mais recentemente permitindo que os cientistas completassem o Modelo Padrão da física de partículas com o bóson de Higgs.

O que preocupa o físico PhD Tom Hartsfield. Em um novo ensaio para o Big Think , Hartsfield argumenta que os aceleradores de partículas massivos simplesmente não valem as colossais quantias de dinheiro e esforço – e que os fundos deveriam ser gastos em outro lugar.

Supersimetria

O raciocínio de Hartsfield: as descobertas que os colisores de partículas trouxeram são cada vez mais obscuras e teóricas. Além disso, ainda há uma chance de que a supersimetria, um conjunto altamente complexo de regras que os cientistas usaram para preencher as lacunas do Modelo Padrão da física de partículas, não seja capaz de explicar muita coisa.

“A supersimetria não é uma teoria rígida e eficiente, unida para explicar observações”, escreve ele. “É uma bagunça complicada de modelos matemáticos que poderiam explicar qualquer coisa, ou nada.”

Simplificando, gastar bilhões de dólares em um colisor de partículas ainda maior pode acabar sendo incapaz de testar essa nova teoria.

LEIA MAIS
Mês do Orgulho LGBT aumenta eventos de drag queen para crianças
Casos começam a aumentar novamente, 4585 testam positivo
O Irã ameaçou esmagar e destruir Tel Aviv e Haifa

Moeda de um centavo

Portanto, gastar até US$ 100 bilhões – estimativa do próprio Hartsfield, reconhecidamente de alto nível – em uma nova versão do LHC pode ser um grande erro.

“Quando você não tem muito o que fazer e recursos limitados, é melhor focar nos problemas que você sabe que estão por aí”, escreve Hartsfield. “Essas coisas vão levar você a novas descobertas.”

“Existem muitos problemas conhecidos na física agora”, argumenta ele. “US$ 100 bilhões poderiam financiar (literalmente) 100.000 experimentos físicos menores.”

Tanto dinheiro poderia até resolver outros grandes problemas, sugeriu ele, como a energia de fusão, que provavelmente seria um imenso bem para o mundo.

O CERN está nos estágios iniciais de desenvolvimento de um projeto para um ” Futuro Colisor Circular ” de 62 milhas, um projeto de construção massivo estimado para ser concluído até 2040.

Mas nem todos concordam que um colisor tão massivo levaria a avanços significativos em nossa compreensão do universo.

Fonte