Tecido colorido aponta para período dos reis Davi e Salomão

Com aproximadamente 3.000 anos, cor roxa era símbolo de poder e influência

Davi e Salomão

Um grupo de pesquisadores israelenses descobriu fragmentos de tecidos coloridos que datam de aproximadamente 1.000 anos a.e.c, em Timna, na região desértica do Neguev. O pigmento roxo é um raro achado e sugere provas do período dos reis Davi e Salomão.

Publicada na revista científica Plos One na última quinta-feira (28), o estudo liderado por arqueólogos da Autoridade de Antiguidades de Israel e do Departamento de Arqueologia da Universidade de Tel Aviv, analisou os pigmentos coloridos desse tecido encontrado no Vale de Timna, no sul do país. Desde 2013, os pesquisadores trabalharam na datação e provável origem do material, que dificilmente é encontrado na região.

Por meio de uma técnica especial, se chegou à conclusão de que o objeto data de aproximadamente 1.000 anos a.e.c, na qual especialistas afirmam ser a época dos reinados de Davi e seu filho Salomão. A presença da cor roxa pode indicar sinais de objetos que já foram usados tanto pelos reis quanto pela elite da época, porque essa coloração era de difícil fabricação e normalmente atribuída à realeza ou pessoas influentes na sociedade.

Leia mais:

“Roxo era a cor usada pelas elites. Apesar de não podermos dizer a quem pertenciam os fragmentos estudados, uma coisa podemos afirmar: se pudéssemos ter acesso ao guarda-roupa do Rei Davi ou Salomão, encontraríamos peças com essas cores”, disse a Dra. Naama Sukenik, responsável pela equipe arqueológica da Autoridade de Antiguidades.

Referências no Tanakh (Velho Testamento)

O uso dessa cor como símbolo de poder pelos antigos reis de Israel pode ser encontrado no livro Cântico dos Cânticos (Shir-HaShirim), capítulo 3: “O rei Salomão fez para si um palanquim de madeira do Libano. Fez-lhe as colunas de prata, a espalda de ouro, o assento de púrpura, e tudo interiormente ornado com amor pelas filhas de Jerusalém.”

As escavações na chamada Colina dos Escravos, em Timna, revelam obras feitas por pessoas habilidosas na fabricação de matérias sofisticados. Para o Professor Erez Bem-Yosef, do Departamento de Arqueologia da Universidade de Tel Aviv, a região fazia parte do reino bíblico de Edom. “Nós sabemos que as tribos de Israel eram originalmente nômades e o processo de assentamento era demorado. Temos procurado pelo Palácio do Rei Davi, mas ele também pode ter demonstrado sua riqueza em objetos próprios para a cultura nômade, como tecidos e outros artefatos”, afirmou.

Texto: Raphael Branco (colaborador no Rio de Janeiro)

Fonte: The Jerusalem Post, Plos One, Israel Antiguities Authority

Raphael Branco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Em Israel testaram com sucesso dois medicamentos que seriam uma possível cura para casos graves de COVID-19

sex fev 5 , 2021
Um hospital israelense afirma que pode ter uma cura para casos graves de COVID-19, de acordo com uma reportagem da KAN News. Pesquisadores do Hospital Ichilov, em Tel Aviv, anunciaram na quinta-feira que resultados positivos foram observados em ensaios preliminares. O professor Nadir Arber, do Centro Integrado de Prevenção do […]