Dois israelenses assassinados no ataque terrorista em Hedera

Shirel Aboukaret e Vizen Fallah, combatentes da Polícia de Fronteira mortos no atentando terrorista. São jovens de 19 anos que dedicaram suas vidas ao Estado de Israel. Descanse em paz

Dois israelenses foram assassinados quando dois terroristas palestinos armados abriram fogo na cidade de Hadera, no norte do país, na noite de domingo.

Os dois terroristas foram neutralizados pela polícia. Segundo relatos, outras três pessoas ficaram feridos e foram levados para o Centro Médico Hillel Yaffe na cidade de Hadera, dois em estado moderado e um em estado grave, mas estável.

O ataque ocorreu quando os dois terroristas abriram fogo contra um grupo de pessoas que descia de um ônibus. Vários policiais das forças especiais que estavam jantando em um restaurante próximo ouviram os tiros, correram para o local e abriram fogo contra os terroristas, que estavam escondidos atrás de um ônibus.

Fontes do Ministério de defesa disseram que os dois terroristas são árabes israelenses, aparentemente da cidade árabe de Umm al-Fahm, no norte, a uma curta distância do local do ataque.

Relatos de que uma grande força militar israelense entrou na cidade árabe, localizada 20 quilômetros a noroeste de Jenin, logo após a identidade dos criminosos ser conhecida.

Booking.com

Os arqueólogos podem encontrar a Arca da Aliança?

Este incidente ocorreu poucos dias depois que um terrorista simpatizante do Estado Islâmico matou quatro israelenses em um shopping center na cidade de Be’er Sheva, no sul do país.

O ataque ocorreu enquanto no sul de Israel os ministros das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Marrocos se reuniam para uma cúpula com a presença do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken.

A Jihad Islâmica assumiu a responsabilidade pelo ataque, dizendo que foi “uma resposta do povo palestino ao ‘cume do mal’ com a presença de ministros das Relações Exteriores de países árabes”.

“O retorno dos ataques… é necessário para criar dissuasão”, disse o comunicado da organização. “O ataque é uma mensagem dissuasiva para os colonos e soldados israelenses”.

O Hamas também se referiu ao ataque, o segundo em menos de uma semana, dizendo que “saúda o ataque heróico aos soldados do exército de ocupação em Hadera.

Ressaltamos que esta é uma resposta natural e legítima contra a ocupação e seus crimes contra nosso povo e lugares sagrados. Parabenizamos os autores do ataque”, acrescentaram.

Israel sofre uma recente onda de ataques contra israelenses por terroristas palestinos nos dias que antecederam o mês sagrado do Ramadã, quando muçulmanos devotos jejuam do amanhecer ao anoitecer, que começa este ano no início de abril e é marcado por um fervor maior religioso e nacionalista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.