Eleições em Israel no dia 1º de novembro

Parlamentares israelenses votaram nesta quinta-feira pela realização de uma eleição nacional antecipada em 1º de novembro, disse um porta-voz parlamentar antes de uma moção formal para dissolver o Knesset.

Eleições em Israel

Parlamentares israelenses votaram nesta quinta-feira pela dissolução do Parlamento após o colapso da coalizão governista do primeiro-ministro Naftali Bennett, abrindo caminho para uma eleição para o dia 1º de novembro que será a quinta de Israel em menos de quatro anos.

Bennett deixará o cargo à meia-noite para ser substituído por seu parceiro de coalizão, o ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid, que liderará o governo durante o que deve ser uma amarga batalha eleitoral com o líder da oposição e ex-premier Benjamin Netanyahu.

Bennett, ex-comandante do exército e milionário da tecnologia, não concorrerá à eleição. Em um comunicado na noite de quarta-feira, ele disse que seu governo deixou um “país próspero, forte e seguro” e mostrou que partidos de diferentes extremidades do espectro político podem trabalhar juntos.

Netanyahu, deposto há pouco mais de um ano pela improvável coalizão de partidos de direita e esquerda de Bennett, bem como da minoria árabe de Israel, prometeu voltar ao poder à frente do partido de direita Likud.

“Eles prometeram mudanças, falaram de cura, realizaram um experimento – e o experimento falhou”, disse ele ao parlamento antes da votação. “Isso é o que acontece quando você pega uma falsa direita junto com uma esquerda radical e mistura com a Irmandade Muçulmana e a Lista Conjunta (do partido árabe).”

Embora as pesquisas de opinião atualmente mostrem que o Likud é o partido político mais forte, elas não mostram um vencedor claro da eleição, deixando Israel enfrentando meses de incerteza política à medida que os problemas de segurança econômica e regional aumentam.

LEIA MAIS
Três feridos em um atentado no túmulo de José
Preços dos combustíveis devem aumentar drasticamente em Israel
Como um avião de carga venezuelano está ligado às tentativas do Irã de atacar israelenses?