Em Busca da Felicidade

Carta a seus filhos

Por Rabino Jonathan Sacks

Em Busca da Felicidade

Sara e David,

No ano que está por começar nem tudo estará sob nosso controle. Isto nunca acontece. “Em Rosh Hashaná é escrito e em Iom Kipur é confirmado…” o livro está sendo escrito agora, mas não nos é possível lê-lo com antecedência. Mesmo no século xxi, quando o homem decodificou o genoma e fotografou o nascimento das galáxias, há algo que nem mesmo o mais ilustre cientista, ganhador de um Prêmio nobel, consegue saber: o que nos trará o amanhã. Vivemos com incertezas. Isto faz parte da condição humana e sempre fará.

Mas, o que realmente importa estará sob nosso controle. Como agiremos e como reagiremos? Faremos sacrifícios pela consecução de nossos ideais? Viveremos para algo maior do que apenas nós mesmos? Saberemos honrar, louvar, respeitar e admirar? Daremos abrigo aos solitários, conforto ao enlutado e apoio a quem enfrenta necessidades? Dedicaremos tempo à nossa família? Concederemos à nossa alma espaço para respirar? Amaremos e agradeceremos a Deus? agiremos para melhorar a vida de outras pessoas?

Estas são perguntas que devemos nos fazer no Iom Kipur. Porque nossa felicidade não depende do que nos acontecerá. ela dependerá de como responderemos ao que nos acontecer. Portanto, nesta minha última carta antes do Iom Kipur, permitam compartilhar com vocês dez segredos que aprendi do judaísmo. eles lhes proporcionarão felicidade – seja o que for que o destino lhes reserve no próximo ano.

  1. Saibam agradecer. Uma vez por dia, no inicio das orações da manhã, agradeçam a Deus por tudo que ele lhes tem proporcionado. Só isto já será suficiente para os trazer a meio caminho para a felicidade. Nós possuímos a maior parte dos ingredientes para uma vida feliz, mas geralmente consideramos isto uma coisa corriqueira e nos concentramos nos desejos ainda insatisfeitos. Agradecer durante a prece foca nossa atenção no que temos de bom e nos proporciona um melhor senso de proporção a respeito do resto. Isto é melhor do que fazer compras e também custa menos.

  2. Saibam louvar. Prestem atenção em alguém que está fazendo alguma coisa certa e o elogiem. Muitas pessoas, quase sempre, não são apreciadas. Ser reconhecido, agradecido e receber congratulações de alguém é uma das coisas mais reconfortantes que pode nos acontecer. Portanto, não esperem que alguém o faça a você; façam isto para alguém. Com isto vocês tornarão melhor o dia dessa pessoa e isto os ajudará a tornar melhor o de vocês. Alenu leshabeach significa “Cumpre- nos louvar”.

  3. Dediquem algum tempo às famílias de vocês. Respeitem o Shabat, pois assim vocês terão – pelo menos uma vez por semana – um tempo em que poderão se sentar e fazer uma refeição tranquila – sem a interferência de televisão, telefone e e-mail –, e vocês poderão simplesmente curtir estar junto de pessoas que vocês consideram, conversando e celebrando a companhia uma da outra. Casamentos e famílias felizes necessitam que se dedique tempo a elas.

  4. Saibam descobrir significados. De vez em quando, separem um tempo para fazer a si mesmos as perguntas do Iom Kipur: “Por que estou aqui? O que espero alcançar? Qual a melhor forma de empregar meus talentos? o que eu gostaria que dissessem a meu respeito depois que eu não estiver mais aqui?” Buscar um significado é essencial para preencher uma vida – e como encontrá-lo se nunca o procurarem? se vocês não souberem aonde querem estar, vocês nunca chegarão lá – por mais rápido que corram.

  5. Vivam de forma coerente com seus valores. A maior parte de nós acredita em ideais, mas raramente atua de acordo com eles. O melhor a fazer é estabelecer hábitos que nos façam agir diariamente segundo estes ideais. as mitsvot (mandamentos) são um meio de exercer esta prática – elas são ideais em ação, reensaiadas constantemente.

  6. Saibam perdoar. esta atitude é o equivalente emocional a perder excesso de peso. a vida é por demais curta para nela carregarmos ressentimentos e procurar vinganças. Perdoar alguém é bom para ele, mas é melhor ainda para você. O mal já ocorreu. Não se tornará menor por você viver pensando nele. Que se vá. siga em frente.

  7. Continuem a crescer. Não se imobilizem, especialmente na vida espiritual. A maneira judaica de transformar o mundo é começar por você mesmo. Anne Frank escreveu: “Como é maravilhoso o fato de ninguém precisar esperar um instante sequer antes de começar a melhorar o mundo.”

  8. Aprendam a escutar. Muitas vezes, numa conversa, passamos metade do tempo pensando o que dizer no próximo instante em vez de prestar atenção no que a outra pessoa está dizendo. Escutar uma pessoa é um dos maiores presentes que se pode dar a ela. Isto significa que estamos abertos ao que diz, que a consideramos seriamente e que aceitamos graciosamente a dádiva de suas palavras. A palavra chave no judaísmo é Shemá, que significa simplesmente “escute”.

  9. Criem momentos de silencio para sua alma. Libertem-se, ainda que apenas por cinco minutos a cada dia, da tirania das tecnologias, do celular, do laptop e de todos os outros invasores eletrônicos. Lembrem- se que Deus está em cada partícula de ar que inalamos. Aspirem o ar da existência e sintam a alegria de ser.

  10. Transformem o sofrimento. Quando lhes acontecerem coisas ruins, usem-nas para se sensibilizar com a dor dos outros. As pessoas que sobreviveram a tragédias e se tornaram mais fortes não se perguntaram “o que isto me fez?”, mas, sim, “o que isto me permite fazer, que anteriormente eu não poderia ter feito?” eles não amaldiçoaram a escuridão; em vez disto, acenderam uma vela. Elas se recusaram a ser vítimas das circunstâncias. Em vez disto, tornaram-se agentes da esperança.

A vida é por demais repleta de bênçãos para desperdiçar tempo e atenção com substitutos artificiais. Viver, doar, perdoar, celebrar e louvar – estas ainda são as melhores formas de fazer uma prece à vida, transformando assim a vida numa bênção.

Sara e David, nossos filhos queridos, vocês jamais saberão quantas bênçãos vocês trouxeram para sua mãe e para mim. O melhor que podemos dar a vocês é rezar a Deus para que ele os ajude a ser uma bênção para os outros. Sejam o que de melhor você puderem ser; sejam embaixadores do judaísmo e do povo judeu e usem cada dia para fazer algo que lhes exija muito e nunca tenham medo de aprender e crescer.

Nós amamos vocês. Que Deus os inscreva, junto com seus filhos, no Livro da Vida.

Viva Israel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Sheikh jordaniano: "Não há Palestina" no Corão. Allah deu Israel aos judeus.

sex out 11 , 2019
O xeique Ahmad Adwan, que se apresenta como um estudioso muçulmano que vive na Jordânia, disse em sua página pessoal no Facebook que não existe tal coisa como “Palestina” no Alcorão. Allah designou a Terra Santa aos Filhos de Israel até o Dia do Julgamento (Alcorão, Sura 5 – “A […]