Garota de 11 anos encontra moeda rara em escavação na Cidade de David, em Jerusalém

A moeda rara foi cunhado no Monte do Templo no período da destruição de Jerusalém

A Autoridade de Antiguidades de Israel anunciou nesta semana, a descoberta de uma moeda rara de prata que pode ter sido cunhada no Monte do Templo, há cerca de 2.000 anos. Um objeto como esse é raro entre as relíquias já encontradas e pertence ao período da destruição de Jerusalém pelo Império Romano.

A moeda de shekel foi achada por uma garota de 11 anos de idade, Liel Krutokop, enquanto participava de um projeto em uma escavação arqueológica no Parque Nacional da Cidade de David. Ao peneirar areia com a equipe de escavadores, o objeto foi encontrado com a inscrição “segundo ano”; uma alusão à revolta dos judeus contra os romanos, entre o cerco de Jerusalém por volta de 67 a 68 d.c.

De acordo com o Dr. Robert Kool, chefe do Departamento de Moedas da Autoridade de Antiguidades de Israel, as pessoas não têm ideia da quantidade de prata que era produzida e guardada no Monte do Templo naquela época. “A moeda pode ter sido cunhada por rabinos que trabalharam na coordenação do local junto com líderes rebeldes, aos quais auxiliavam”, disse.

Booking.com

A certeza sobre a origem do material se deve à raridade de ocasiões similares. Das milhares de moedas já encontradas por todo o território israelense, a AAI registrou apenas 30 feitas de prata, e todas saíram do sítio arqueológico na Cidade de David, em Jerusalém.

A moeda pesa 14 gramas e possui a imagem de um copo de um lado, com a inscrição “shekel israelense” e com a inscrição escrita em hebraico do outro lado, “segundo ano”, referente ao segundo ano da Grande Revolta contra os romanos, entre 67 e 68 d.c.

Ainda segundo o Dr. Robert Kool, o uso de moedas pela rebelião era um sinal da independência das forças judaicas ante o avanço das tropas romanas. Já a inscrição em hebraico demonstra a importância da terra para o povo judeu. “O uso do hebraico, que já não era comum no período, não foi acidental. Isto expressa a longevidade do povo desde os reinados de David e Salomão”, citou.

Comprovação arqueológica

O período de cunho das moedas pode ser comprovado com uma série de achados arqueológicos que recontam os acontecimentos do período. Por exemplo, no Colisseu, em Roma, há uma inscrição onde se descreve que o anfiteatro foi construído com espólios saqueado de Jerusalém. “O imperador Vespasiano ordenou a construção desse novo anfiteatro pela divisão dos espólios”, se lê em latim.

Segundo historiadores, Jerusalém foi cercada por soldados sob comando de Tito, filho do imperador Vespasiano, que suprimiu a revolta dos judeus e destruíram o templo.

Fonte: The Times of Israel

Texto: Raphael Branco (colaborador no Rio de Janeiro)

Leia Mais:

Um morto e três feridos em ataque terrorista na Cidade Velha de Jerusalém

Raphael Branco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *