Governo vai votar hoje para abertura de shopping, bibliotecas e academias até quinta-feira

Governo vai votar

O governo vai votar hoje para aprovar a diminuição das restrições ao coronavirus em Israel, permitindo que shoppings, bibliotecas, academias, esportes aquáticos e clínicas de tratamento não médico voltem às operações na quinta-feira.

Depois que os shoppings reabrirem, eles precisarão coletar informações dos compradores quando eles entrarem e se movimentarem entre as lojas, para monitorar e impedir a propagação do vírus. Também é provável que os mercados sejam reabertos e os limites de multidões em casamentos e outros eventos provavelmente serão reduzidos, mas não aumentados.

É improvável que o uso de equipamentos de ginástica em parques públicos e sentado na praia seja permitido nesta fase.

O debate do governo ocorre quando o número de casos ativos em Israel diminuiu para 6.145 na segunda-feira de manhã, um declínio de 73 casos da noite para o dia. Até o momento, 235 cidadãos morreram e 9.858 se recuperaram do vírus. Um total de 93 pacientes estão em estado grave e 72 necessitam de intubação. Os funcionários são cautelosos, no entanto, que o relaxamento prematuro das restrições pode resultar em um retorno a taxas mais altas de infecção.

O prefeito de Jerusalém, Moshe Lion, elogiou a aparente mudança para reabrir os mercados, incluindo o mercado Mahane Yehuda da capital.

“Congratulo-me com a decisão dos ministros e apóio a abertura de mercados de acordo com o plano que propus há várias semanas”, disse Lion em comunicado, acrescentando que as equipes municipais estariam prontas a partir de quinta-feira para impor as restrições necessárias.

Como parte de uma proposta de estratégia de saída de longo prazo avançada antes da reunião, o Ministério das Finanças exigiu inicialmente que todos os shopping centers, parques nacionais, tzimmers (cabines de férias com um quarto) e hotéis que oferecessem acesso direto aos quartos aos hóspedes pudessem abrir a partir de terça-feira. Na próxima semana, todas as pré-escolas e jardins de infância estão programados para abrir como planejado atualmente.

www.instagram.com/vivaisrael

O ministério também propôs a abertura de mercados, academias, museus e eventos esportivos sem multidões a partir de 17 de maio. No final do mês, em 31 de maio, o ministério propôs que restaurantes e locais de eventos finalmente pudessem abrir suas portas.

Oficiais do governo acusaram o Ministério da Saúde de ainda exigir restrições que impedirão a maioria dos shoppings de abrir.

O roteiro para a normalidade do Ministério da Saúde é dividido por setores, abordando uma vasta gama de questões, incluindo visitar familiares e amigos e reabrir instituições culturais e esportivas.

O documento destaca que Israel pode começar a implementar medidas menos restritivas devido aos bons resultados alcançados até o momento em conter a doença. Mas a situação pode mudar rapidamente e novas restrições podem ser implementadas.

Especificamente, ele disse que o esboço é elaborado para um cenário em que o número de novos casos por dia é menor que 300, “dos quais 100 são da comunidade e 200 do exterior, instituições e centros de surtos” e o número total de casos. pacientes em estado grave é inferior a 300.

Na terça-feira, o hotel Dan Panorama, em Tel Aviv, usado para abrigar pacientes com coronavirus, será fechado. Os pacientes que ainda estão lá serão transferidos para outros hotéis.

Falando em uma conferência internacional virtual de compromissos promovida pela Comissão Europeia na segunda-feira, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu prometeu que Israel contribuiria com US $ 60 milhões para pesquisa e desenvolvimento de diagnósticos, tratamentos e vacinas para a pandemia de coronavirus.

A partir das 18h, a Comissão Européia afirmou ter levantado US $ 5,9 bilhões. para os esforços de pesquisa, depois de estabelecer uma meta de US $ 8,2 bilhões.

Em notícias de boas-vindas para empresários, o Comitê de Finanças do Knesset aprovou uma expansão de 6 bilhões de NIS do fundo de empréstimos garantidos pelo governo para pequenas e médias empresas na segunda-feira, que agora totaliza NIS 14b.

Aproximadamente 50.000 pedidos de assistência financeira foram enviados até a data, solicitando um total de NIS 32.8b.

Cerca de 23.200 solicitações foram consideradas até o momento, com mais de dois terços (68%) dos pedidos revisados ​​aprovados. Um total de NIS 5.9b. foi alocado para proprietários de empresas.

“Dada a grande demanda por empréstimos garantidos pelo estado por pequenas e médias empresas, vimos que era apropriado aumentar significativamente o volume de empréstimos no fundo”, disse o contador geral do Ministério das Finanças, Rony Hizkiyahu.

“Congratulo-me com a mobilização do Comitê de Finanças e do sistema bancário para prestar assistência ao setor comercial neste momento.”

Os números encorajadores também foram publicados pelo Serviço de Emprego, que identificou um número maior de funcionários retornando ao trabalho na segunda-feira do que os novos candidatos a benefícios de desemprego pela primeira vez.

Entre as 16h de domingo e as 16h de segunda-feira, quase 10.200 funcionários informaram o Serviço de Emprego de que haviam retornado ao trabalho, enquanto apenas 2.500 novos pedidos de assistência foram enviados.

“Este é o primeiro dia em que vimos uma situação que pode sinalizar uma tendência positiva, pois o número de pessoas retornando à força de trabalho é maior que o número que sai dela”, disse o diretor geral do Serviço de Emprego Rami Garor.

“Estimamos que ainda há muitos que voltaram ao trabalho e ainda não o relataram, e por esse motivo, atualmente estamos nos abstendo de publicar dados de desemprego”.

Inscreva-se já e fique por dentro das noticias de Israel e do mundo

* indicates required

Viva Israel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Irã começa a retirar tropas da Síria

ter maio 5 , 2020
Um oficial de segurança israelense disse que o Irã começou a retirar tropas da Síria pela primeira vez desde o seu envolvimento na guerra civil. O Irã se tornou um empecilho para a Síria, travando uma guerra própria a um custo que se tornou alto demais para o regime de […]
retirar tropas