Os arqueólogos finalmente descobriram o templo perdido de Hércules?

Restos de um templo romano.  (crédito: DIMITRI SVETSIKAS / PIXABAY)
Restos de um templo romano. (crédito: DIMITRI SVETSIKAS / PIXABAY)

Pesquisadores na Espanha encontraram os restos de uma série de edifícios que eles acreditam ser o templo de Hércules (ou como ele era conhecido pelos romanos, Melqart).

Utilizando informações obtidas através de dados documentais e arqueológicos, pesquisadores da Delegação Territorial e da Universidade de Sevilha realizaram uma série de viagens de pesquisa à área entre Chiclana de Frontera e San Fernando, na Andaluzia, Espanha.

As informações obtidas nessas viagens revelaram um ambiente diferente do que se acreditava anteriormente na área. Os pesquisadores agora acreditam que havia um litoral na área que foi antropizado com uma possível doca.

As informações recém-descobertas sobre a área correspondem às informações sobre o templo de Hércules dos escritores antigos da época. 

Para confirmar as suas suspeitas, os arqueólogos vão investigar a área e os dados de que dispõem, na tentativa de reconstruir a história e determinar a cronologia, a tipologia e os usos de cada uma das estruturas que descobriram.

Hércules (ou Hercales) é uma figura heróica da mitologia grega que foi então adaptada para se ajustar à mitologia romana. Como filho de Zeus (ou Júpiter), Hércules era um semideus que viveu várias aventuras. Ele é considerado o deus da força e dos heróis.

O templo de Hércules é conhecido por ter sido um local de peregrinação popular há milhares de anos e acredita-se que tenha sido visitado por gente como Júlio César, mas sua localização foi perdida e os arqueólogos o procuram há anos.

“Nós, pesquisadores, relutamos muito em fazer da arqueologia um espetáculo, mas, neste caso, nos deparamos com algumas descobertas espetaculares”, disse ao El Pais o diretor do Departamento de Pré-história e Arqueologia da Universidade de Sevilha, Francisco José García.

Leia Mais:

Israel pode enfrentar dois conflitos sérios este ano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *