Israel: dos pântanos ao Oásis

Por que Japão e Suíça, tão pequeninos e relativamente desprovidos de recursos naturais, são muito mais ricos do que os países da América Latina e da África, geograficamente vastos e ricos em recursos naturais? Se a grandeza de um país se medisse somente por sua extensão territorial ou pela abundância de recursos naturais, não seria a Rússia a maior economia do planeta? A grandeza de uma nação se mede pela grandeza de seu povo, composta pela memória dos grandes feitos realizados em conjunto. A prosperidade é fruto do trabalho duro, da criatividade, da inovação, da capacidade de empreender e transformar desafios em oportunidades. Neste sentido, a pequena nação de Israel tem muito a ensinar ao mundo. Antes uma terra desolada, composta por pântanos, desertos e áreas rochosas — consideradas inabitáveis pelos árabes da região—, Israel se tornou um oásis no Oriente Médio graças a um grupo de trabalhadores rurais, dispostos a tomar as rédeas de seu destino e construir uma grande nação por meio de seus grandes feitos.

Tradução e revisão: Hugo Silver e Israel Pestana Agradecimentos: Alexandre Borges

Vale de Hula

Viva Israel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Israel e o Domo de Ferro

seg ago 5 , 2019
Nesta reportagem, Ashlee Vance, colunista da revista Bloomberg BusinessWeek, viaja para a cidade costeira de Ashkelon, próxima da Faixa de Gaza, para ver de perto uma das invenções militares mais espetaculares e conhecidas de Israel: o Iron Dome (Domo de Ferro), um amplo escudo aéreo de alta tecnologia contra a […]