Israel prolongará o ano letivo devido à crise do coronavírus

As aulas para crianças da primeira à quarta série vão até 13 de julho, enquanto as matriculadas nas escolas de verão estudam até pelo menos 6 de agosto. 

Enquanto isso, novos casos de COVID-19 obrigam estudantes e funcionários de instituições de ensino a entrar em quarentena, e algumas escolas tiveram que fechar suas portas novamente.

O ano escolar das crianças israelenses durará pelo menos até o início de agosto devido à epidemia de coronavírus que causou o fechamento de todas as instituições de ensino.

Sob um esquema apresentado pelo governo na terça-feira, as crianças da primeira à quarta série terão aulas até 13 de julho, enquanto os alunos matriculados nas escolas de verão estudarão até pelo menos 6 de agosto.

volta as aulas em israel

As crianças que frequentam jardins de infância, assim como os alunos da primeira e da segunda séries, terão atividades após a escola até 6 de agosto.

O esquema representa uma vitória para a secretária geral do sindicato dos professores, Yaffa Ben-David, que exigiu que os professores recebessem pagamento integral pelos dias em que trabalharam remotamente durante a quarentena e se opôs à proposta do Ministério das Finanças de reduzir as férias de verão para alunos do ensino médio em pelo menos nove dias.

Booking.com

Além disso, embora algumas instituições de ensino em todo o país já tenham reaberto suas portas, surgem cada vez mais casos de coronavírus no sistema educacional, forçando os alunos e funcionários de algumas escolas a iniciar uma quarentena.

volta as aulas em israel

Em alguns casos, as autoridades tiveram que fechar as instalações. Cerca de 57 crianças da primeira à quarta série e seis funcionários da Escola Zofit do Conselho Regional de Drom Hasharon começaram a quarentena na quarta-feira depois de serem expostas a dois estudantes que recentemente testaram positivo para coronavírus.

Aparentemente, esses são dois irmãos que contraíram o COVID-19 depois de entrar em contato com um membro da família infectado.

Na terça-feira, uma assistente de um jardim de infância ao norte de Tel Aviv foi diagnosticada com o vírus, então as crianças tiveram que começar o isolamento com os pais, e o Ministério da Saúde ordenou o fechamento da instituição até sexta-feira.

volta as aulas em israel

“É bastante estressante”, disse a mãe de uma das meninas que frequenta a creche. “Perguntei se eles nos testariam [em relação ao coronavírus] e declararam que os exames são feitos apenas nas pessoas que apresentam sintomas compatíveis com a doença”, acrescentou.

“Eu não sei o que fazer, porque pelo que li, as crianças nem sempre desenvolvem sintomas. Agora toda a família está em quarentena porque não há como isolar uma criança de dois anos sozinha espero que a situação melhore”, disse a mãe.

A vice-prefeito de Tel Aviv, Tzipi Brand, que também é responsável pelos jardins de infância da cidade, disse: “Ficou claro que a reabertura do sistema educacional aumentaria a exposição de crianças e seus pais ao vírus”. E acrescentou: “Por outro lado, o custo de não abrir a economia também foi claro”.

Faculdade em Mevaseret Zion.

Um aluno da sétima série da Escola Haivym Haivrit em Jerusalém também foi diagnosticado com o vírus na semana passada, então cerca de 40 alunos e funcionários da escola tiveram que iniciar uma quarentena de duas semanas.

Na escola Navon, em Rehovot, outro professor foi diagnosticado com o vírus, fazendo dela a quarta pessoa a contrair o COVID-19 entre os funcionários da escola.

Por esse motivo, os 22 alunos e o professor receberam ordem de se isolar por recomendação do Ministério da Saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.