Embora com restrições, Israel reabre o Muro das Lamentações aos visitantes

Em Israel, o lockdown que forçava os israelenses a não ir além de um quilômetro de suas casas foram removidas, pelo menos por enquanto.

Com o fim da restrição, o Muro das Lamentações foi reaberto e está preparado para receber visitantes de todo o país. Israel começou a deixar o que era seu terceiro fechamento nacional para evitar o contágio; esse bloqueio, que terminou no domingo, durou 40 dias.

Enquanto a reabertura inclui medidas rigorosas de distanciamento, como o limite de reuniões de cinco pessoas em espaços fechados e dez pessoas em espaços abertos, o lugar sagrado localizado na Cidade Velha de Jerusalém convidou as pessoas a retornar, mas também a manter os cuidados.

Booking.com
O Muro das Lamentações, com divisões marcadas por cercas, para manter o distanciamento social.

Imagens divulgadas pela Fundação Património do Muro das Lamentações mostram o setor dividido por cercas, separando a esplanada em setores em que podem entrar até dez pessoas.

O desligamento estava inicialmente programado para ser parcialmente levantado na sexta-feira, mas um acordo de gabinete no final da quinta-feira estendeu o desligamento até domingo, após uma reunião de horas e muita discussão entre o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e o ministro da Defesa Benny Gantz.

A partir desta manhã, reservas naturais, parques nacionais, patrimônios, incluindo o Muro, e locais da Autoridade de Antiguidades de Israel reabriram ao público.

Leia mais:

Empresas que não atendem ao público e serviços de takeaway também voltaram a funcionar. Empresas com interações individuais, como cabeleireiros e cosmética , também foram capacitadas para retomar suas atividades.

Enquanto isso, o aeroporto de Ben-Gurión permanecerá fechado até pelo menos 20 de fevereiro, de acordo com uma decisão do governo tomada na sexta-feira.

O principal aeroporto internacional de Israel está fechado quase completamente desde 25 de janeiro, exceto para carga e aeronaves de emergência, enquanto as autoridades tentam impedir a entrada de pessoas que podem ser portadoras de variantes do coronavírus, como as que contribuíram para o aumento dos casos.

O principal aeroporto de Israel, vazio durante as restrições do coronavírus.

Apesar da decisão de aliviar o bloqueio, Israel continua a lidar com uma alta taxa de infecção. De acordo com dados do Ministério da Saúde na manhã de domingo, Israel registrou 2.624 novas infecções por coronavírus no sábado, de cerca de 28.000 testes realizados.

Como de costume, muito menos testes são realizados durante o fim de semana. A taxa de positividade das provas de sábado foi de 9,6%. Um total de 1.110 pacientes foram declarados em estado grave, dos quais 302 estão em um respirador.

O número de mortos era de 5.074 na manhã de domingo, de acordo com os números do ministério. O programa de vacinação bem-sucedido de Israel com a vacina Pfizer/BioNtech está em andamento, com 3.426.415 pessoas que receberam a primeira dose e 2.015.108 que, até domingo de manhã, também receberam a segunda dose.

David Elmescany

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Nentayahu respondeu aos EUA sobre a soberania das colinas de Golã

qua fev 10 , 2021
Após declarações controversas do novo Secretário de Estado dos EUA, o primeiro-ministro garantiu que Israel preservará esses territórios “para sempre”. “Israel manterá as Colinas de Golã para sempre”, disse o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu na terça-feira, depois que o novo secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, se expressou sobre […]