Israel vai exigir teste negativo para entrada no país

A medida entrará em vigor neste sábado a partir das 23h. Somente cidadãos que receberam ambas as doses da vacina não deverão apresentar o teste.

A partir de 23:00 de sábado, 23 de janeiro, qualquer pessoa que deseje embarcar em um vôo para Israel deverá apresentar à companhia aérea um teste negativo para COVID-19 (PCR) realizado dentro de 72 horas antes do embarque.

Os cidadãos que foram vacinados e apresentam o certificado de imunização fornecido pelo Ministério da Saúde não devem ser testados. Qualquer pessoa que deixe Israel dentro de sete dias após receber sua segunda dose da vacina contra o coronavírus deve ser colocado em isolamento após o retorno. As regras serão aplicadas a todos os viajantes que chegarem ao país para mais de 72 horas. Exceções serão concedidas caso a caso.

teste negativo
Israel exigirá que os viajantes testem negativamente para entrar no país.

Apesar do ajuste das políticas de saúde, o Ministério da Saúde de Israel informou nesta sexta-feira uma nova diminuição das infecções diárias pela COVID-19 e tudo indica que o pior surto que o país sofreu desde o início da pandemia começa a ser deixado para trás, após semanas de regras rígidas de fechamento.

Segundo o ministério, 7.099 novos casos foram confirmados nesta quinta-feira, após atingirem no início da semana um máximo de mais de 10.100. Junto com outros 1.228 casos desde a meia-noite, o número total de infectados registrados em Israel chegou a 585.746.

Leia mais:

Booking.com
teste negativo

Nas últimas horas, foi administrado um recorde de 223.560 doses da vacina. Os números do Ministério mostraram que 2.441.379 receberam a primeira dose da vacina e 850.811 deles a segunda. Os números de pessoas vacinadas constituem 27% da população.

Para incentivar a imunização, as autoridades planejam emitir “passaportes verdes”, o que permitirá que aqueles que são vacinados ou se recuperaram do vírus participem de grandes reuniões e apresentações em locais culturais.

As pessoas imunizadas também estarão isentas de requisitos de quarentena. Dados do Ministério da Saúde divulgados na noite de quinta-feira mostraram que 220 israelenses morreram de COVID-19 desde o início da semana, 14 deles apenas na quinta-feira, levando o número nacional de mortes por coronavírus para 4.232. Atualmente, existem 1.156 israelenses internados em estado grave devido ao vírus (315 com respirador).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.