Mar da Galiléia transborda em Israel

3

Em Israel, o mar da Galiléia – que na verdade é um enorme lago de água doce – transbordou. O lago não tem ondulação e nem ligação com o mar. A última vez que o fenômeno aconteceu foi há 300 anos.

mar da Galileia, também conhecido como mar de Tiberíades ou lago de Genesaré (em hebraico: יָם כִּנֶּרֶת, Yam Kinneret; em árabe: بحيرة طبريا), é um extenso lago de água doce localizado no Distrito Norte de Israel. É o maior lago do país e tem comprimento máximo de cerca de 19 quilômetros e largura máxima de cerca de 13 km, sendo que sua área total abrange 166,7 km².[1] O seu afluente principal é o rio Jordão, que vem do monte Hérmon e de Cesareia de Filipe, e que é também o seu efluente, seguindo depois para o mar Morto.

O mar da Galileia fica a 213 metros abaixo do nível do mar Mediterrâneo e é considerado um mar isolado por não ter nenhuma ligação com outros mares ou oceanos. Nos tempos do Novo Testamento, ficavam nas suas costas a cidade de Tiberíades — fundada por Herodes Antipas ao tempo da infância de Jesus —, Cafarnaum, Betsaida, Genesaré e Magdala, entre outras. Hoje Tiberíades é a localidade principal nas margens do lago. A nordeste deste lago ficam os colinas de Golã.

Viva Israel

3 thoughts on “Mar da Galiléia transborda em Israel

  1. Relato bíblico que nos tempos bíblicos esse mar da Galiléia serviu de sobrevivência pra famílias que se alimentava dos seus Peixes foi palco de tempestades com ventos fortes inundando os barcos de forma que Jesus realiza sua aparição a calma a tempestade e o vento as cidades ribeirinhas de hoje são as mesmas mencionados na bíblia sempre foi palco de fenômeno da natureza como sua inundação em nosso dias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Países ocidentais suspeitam da origem do coronavírus, que matou mais de 140.000

sex abr 17 , 2020
A pandemia do novo coronavírus já causou mais de 140.000 mortes em todo o mundo, em um momento em que os países ocidentais, encabeçados pelos Estados Unidos, lidam com a hipótese de que o vírus procede de um laboratório chinês, e não de um mercado de animais. Dos 2,1 milhões […]
Países ocidentais