Na frente de batalha contra o COVID-19, Israel trabalha em várias armas tecnológicas

Israel é mundialmente conhecido como um dos países que mais se dedica em obter vitórias nas áreas de medicina, saúde e bem-estar, e agora não poderia ser diferente. O país está fornecendo suas melhores armas para ganhar terreno com a pandemia gerada pelo atual e menor inimigo da humanidade.

Israel é mundialmente conhecido como um dos países que mais se dedica em obter vitórias nas áreas de medicina, saúde e bem-estar, e agora não poderia ser diferente. O país está fornecendo suas melhores armas para ganhar terreno contra o atual e menor inimigo da humanidade.

Tecnologia

No dia 24 de março de 2020, uma série de teleconferências foi realizada entre especialistas israelenses e de outras partes do mundo para tratar do problema que aflige a humanidade atualmente, o coronavírus. Em abril, ocorrerá um evento virtual onde investidores de biotecnologia e pesquisadores de tecnologia médica irão discutir os próximos passos.

Várias empresas israelenses estão fazendo uma maratona de trabalho frenético para alcançar os melhores e mais práticos métodos de detecção da infecção em amostras de pacientes, desde a aplicação de algoritmos, inteligência artificial e até mesmo método para detectar infecções em amostras de saliva em 50 minutos. Tudo para otimizar os testes que são feitos regularmente. E não pára por aí! Os pesquisadores estão tentando desenvolver um teste que detecta a infecção através da voz do paciente.

Uma das propostas tecnológicas consiste em um sensor térmico de aviso remoto na presença de sintomas. Outro grupo de pesquisadores trabalha em conjunto com vários países para determinar condições genéticas que favorecem ou afetam negativamente a atividade do coronavírus. Os aplicativos de imagem já estão sendo adaptados e implantados em vários países europeus e asiáticos.

No quesito tratamento, as soluções de inteligência tecnológica e artificial desenvolvidas por Israel também têm muito a contribuir. O atendimento remoto ao paciente por vídeo, por exemplo, atende pacientes que não precisam ficar hospitalizados, assim como sensores de leito monitoram os pacientes que estão acamados.

Alguns hospitais nos Estados Unidos e na Europa já utilizam sistemas analíticos de inteligência artificial, desenvolvidos por Israel. Esse sistema consegue prever situações graves em pacientes, várias horas antes mesmo que elas ocorram, levando assim a equipe médica a atuar e impedindo que venha a acontecer algo mais grave.

Outras áreas já possuem algumas soluções e se espera grande progresso nos próximos dias. Algumas delas são: cateteres para oxigenação sanguínea, terapias de regeneração para o sistema respiratório, vacinas produzidas a partir de algas ou galinhas, estimulação da produção de anticorpos em pacientes, desenvolvimento de drogas que inibem o coronavírus ou previnam a deterioração de órgãos, métodos e sistemas de intubação e ventilação de pacientes e até aplicações de realidade virtual para o atendimento psicológico para os que necessitam, em casos como gerenciamento de estresse e ansiedade, exercícios cognitivos e físicos, entre muitos outros.

Além de tudo o que foi descrito, o país ainda está pedindo a colaboração das pessoas que tiveram o vírus e se curaram, doando o seu sangue para serem estudados e talvez até mesmo serem usados como forma de tratamento para os pacientes que desenvolveram o vírus de forma mais graves.

Definitivamente Israel é um país que luta pelos seus e pela humanidade sem ver diferença. Todos somos seres-humanos no final das contas e por aqui o que vale mais é a vida!

Inscreva-se já e fique por dentro das noticias de Israel e do mundo

* indicates required

Viva Israel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Judeus ultraortodoxos relutam em cumprir normas contra coronavírus

qua abr 1 , 2020
A polícia israelense aumentou as rondas nos bairros de judeus ultraortodoxos, portando máscaras, luvas, bastões e helicópteros, pois estas áreas se tornaram incubadoras do novo coronavírus, já que parte da população viola as regras sanitárias. Há alguns dias, em Bnei Brak, uma cidade próxima a Tel Aviv de maioria ultraortodoxa, […]
Judeu Ortodoxo