Pelo menos 40 terroristas mortos por bombardeios pesados atribuídos a Israel na Síria

Pelo menos 40 terroristas foram mortas em bombardeios atribuídos a força aérea israelense na madrugada desta quarta-feira contra depósitos de armas e posições militares no leste da Síria, nos ataques mais mortais desde 2018.

Aeronaves israelenses realizaram pelo menos 18 missões contra alvos ao redor da cidade de Dayr al-Zawr e nos desertos de Bukamal e Mayadin, de acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Ofensiva na Síria.

Esses ataques mataram pelo menos nove soldados do exército sírio e 31 combatentes estrangeiros ligados a milícias pró-iranianas, de acordo com o novo balanço dado à AFP pelo diretor da OSDH, Rami Abdel Rahman, que não conseguiu especificar as nacionalidades das vítimas.

Os paramilitares pertencem ao movimento terrorista libanês Hezbollah e às Brigadas Fatímidas, que têm combatentes afegãos pró-iranianos, operando na região, de acordo com o OSDH.

Já na terça-feira, aviões não identificados haviam realizado vários bombardeios na região de Bukamal, matando 12 combatentes de milícias pró-Irã, de acordo com a ONG. No momento, o exército israelense não comentou os fatos.

O mais “mortal”

De acordo com o diretor da OSDH, Rami Abdul Rahman, estes são os ataques israelenses “mais mortais” desde junho de 2018, quando bombardeios nessa mesma região mataram pelo menos 55 combatentes pró-governo, incluindo iraquianos e sírios.

Em novembro, ataques semelhantes no leste da Síria causaram pelo menos 19 mortes entre milícias pró-Irã, de acordo com a ONG. Por sua vez, a agência oficial síria SANA relatou bombardeios israelenses noturnos no leste sem oferecer mais detalhes.

“Na madrugada desta quarta-feira, o inimigo israelense realizou uma agressão aérea contra a cidade de Dayr al-Zawr e a região de Abu Kamal”, informou a mídia, que cita uma fonte militar.

“Estamos determinando as consequências da agressão”, acrescentou. Esta é a segunda rodada de bombardeios em menos de uma semana realizada por Israel na Síria.

Os últimos foram realizados em 7 de janeiro e visavam posições no sul do país e no sul de Damasco, nas quais três combatentes pró-iranianos foram mortos.

Leia mais:

Em 2020, Israel bombardeou cinquenta alvos na Síria, de acordo com um relatório anual publicado no final de dezembro pelo exército israelense.

Desde o início da guerra na Síria em 2011, Israel realizou centenas de bombardeios contra tropas do governo, forças aliadas iranianas e terroristas do Hezbollah.

Pelo menos 40 mortos
Um combatente do Hezbollah no sul da Siria.

Esses bombardeios representam uma “política clara” de Israel, declarou o primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu, em novembro.

As autoridades israelenses estão preocupadas com a presença às suas portas das forças iranianas, já que a República Islâmica é um de seus piores inimigos. A guerra na Síria causou mais de 380.000 mortes e forçou milhões de pessoas a deixar suas casas.

David Elmescany

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Governo israelense confirma envio de vacinas para a Palestina

qui jan 14 , 2021
Nesta quarta-feira (13), o governo israelense confirmou o envio de doses da vacina contra a Covid-19 para a Autoridade Palestina. A entrega dos imunizantes aconteceu há mais de uma semana, apesar dos dois governos terem negado o acordo de cooperação. Até este momento, Israel já vacinou mais de 20 por […]