Chefe do IRGC do Irã prevê colapso de Israel

prevê colapso  de Israel

O chefe da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã (IRGC) , a máfia quase militar que dirige o Irã, afirmou que os EUA estão tentando deixar o Oriente Médio e que Israel corre o risco de entrar em colapso.

Não ficou claro se a mensagem do comandante-chefe do IRGC, Hossein Salami, foi programada para coincidir com as notícias das aparentes eleições de Israel que agitarão o público israelense em vários meses, mas seu discurso repetiu o mantra iraniano usual.

O Irã muitas vezes fica frustrado por ter pouco a mostrar para suas alegações de “resistência” a Israel e envia mensagens em toda a região, portanto, tudo não passa de uma mensagem. Quanto mais Israel, o Ocidente e os EUA tiverem sucesso, mais o Irã alegará que Israel está no fim.

Tasnim e Fars News, mídia pró-IRGC e pró-governo do Irã, relataram os comentários no topo de seus sites na terça-feira.

“Nossos inimigos estão desgastados e derrotados”, afirmou Salami. Ele também disse que o Irã não deixa ninguém se infiltrar no estado. Isso contrasta com os relatos da mídia estrangeira que afirmam que o Irã está continuamente sendo infiltrado e seus funcionários do IRGC estão sendo assassinados. Salami afirmou que Teerã irá se vingar, invertendo a narrativa. O Irã já disse isso antes. Israel também alertou sobre ameaças iranianas na Turquia.

LEIA MAIS
GOOGLE SUPOSTAMENTE INFILTRADO POR “SEITA RELIGIOSA”
Navios russos na costa da Ucrânia se preparam para lançamento de míssil ‘maciço’
Netanyahu garante que Likud liderará o próximo governo

Olhando para o povo nômade

O chefe do IRGC afirmou que estava fortalecendo o Corpo de Guardas e que não tem medo da “formação poderosa da frente inimiga”.

Ele fez seus comentários enquanto estava em Shahrekord, no centro do Irã, a oeste de Isfahan, e elogiou o papel de diversos povos no país, incluindo os nômades.

Apesar de o Irã ser governado por um regime cruel e o IRGC ser uma organização sanguinária, em geral, o regime passa mais tempo elogiando a diversidade de sua sociedade do que outros regimes autoritários da região, como a Turquia, onde o partido no poder é conhecido pela limpeza étnica das minorias na Síria.

Qual é o objetivo?

O objetivo do Irã geralmente é usar as minorias e levá-las a seguir a linha do partido, mas ao contrário do regime genocida de Saddam no Iraque ou do regime de Assad na Síria, o regime iraniano pelo menos presta atenção ao fato de que o Irã é um país diversificado.

“Acredito que cada comunidade, cada grupo étnico e cada nação é um reflexo da natureza em que vivem”, disse Salami nesta semana. “Os nômades são orgulhosos e é glorioso que tenham aprendido essas qualidades nas montanhas e nas rochas.”

Ele então deu parabéns aos povos nômades por seu papel de serem as “reservas da Revolução”. Ele elogiou seu papel na história do Islã e depois observou que somente através do zelo de grupos, como os nômades, o Irã poderia alcançar sua grandeza. “Os inimigos queriam saquear a riqueza material e espiritual de nosso país e de outros muçulmanos”, afirmou.

No entanto, é claro que o Corpo de Guardas quer pressionar sua “resistência” no Iraque e na Síria, continuando a operacionalizar grupos e forças, bem como capacitar o Hezbollah, os Houthis e o Hamas.

No geral, o fato de o líder do IRGC ter passado a semana elogiando minorias e nômades no Irã pode refletir o fato de que ele se sente seguro e não considera que suas forças enfrentam uma emergência, apesar dos relatos de que alguns de seus oficiais morreram em circunstâncias raras e misteriosas. nos últimos meses.