Propaganda do Hamas – louvor aos terroristas

Muitas pessoas não têm acesso aos fatos sobre o que aconteceu e acontece na região. Falas como “Israel foi fundado em meio a uma nação muçulmana”,”os árabes estavam lá há séculos”,”essa guerra é milenar” ou “os assentamentos fazem com que os palestinos se sintam em guetos”, “Israel é expansionista” são muito frequentes em debates sobre o assunto. Infelizmente, ninguém recorre aos fatos antes de entrar na discussão.

Disponibilizamos nos comentários do referido post material para que qualquer pessoa ponha à prova os preconceitos que mantém.

O post de hoje no entanto tem um objetivo diferente. Vem acusar os líderes palestinos por inflamar a violência, gerando terror na sociedade israelense e subjugando o próprio povo aos caprichos de seus partidos.

Do salário pago pela Autoridade Palestina, que comanda as regiões árabes da Judeia e Samaria (também chamada de Cisjordânia), às famílias de terroristas ao sistema educacional doutrinacional sob o qual as crianças palestinas crescem, os impecílios para a paz não podiam ser mais claros. Um lado quer que o outro morra. A UNRWA, Autoridade Palestina e o Hamas têm doutrinado as crianças Palestinas para a violência desde que existem e mantém nas suas mãos o sangue dos que pereceram por causa desse conflito.

Este é um vídeo propaganda do Hamas, grupo terrorista que controla a Faixa de Gaza, vídeo que é transmitido nas escolas e na televisão. Vejam e julguem por si mesmos.

TRADUTORES DE DIREITA

Viva Israel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Descoberta no mar Morto dá esperança de encontrar vida em Marte

seg ago 19 , 2019
A água salgada do lago lendário no Oriente Médio pode ser considerada um dos ambientes mais impróprios para a vida no mundo. No entanto, mesmo lá, sem carbono ou oxigênio, microrganismos encontram vias para sobreviver. O estudo, publicado na revista científica Geology, descreveu microrganismos que são capazes sobreviver debaixo do Mar Morto, […]