Tribos misteriosas que negam pertencer a raça humana

Há pessoas na terra que negam pertencer a raça humana e acreditam que vieram das estrelas. Além disso, alguns deles afirmam que vieram quando ainda não havia humanos.

Digamos logo que todos os tipos de versões fantásticas criadas agora sobre a origem de alguns povos das estrelas e sobre como eles trouxeram a civilização para os selvagens locais não serão considerados aqui. Falaremos apenas sobre tribos específicas cuja a origem sobrenatural esta escrita na mitologia e nas lendas por mais de mil anos.

Existem apenas três dessas – Toda na Índia, Surma na África e Uru na América do Sul. Hoje, esses são os poucos que ainda se mantêm distantes e que podem desaparecer no futuro próximo. Mas seus mitos de origem são realmente surpreendentes.

Arrogância e sigilo

Em uma região montanhosa remota na junção das fronteiras do Quênia, Etiópia e Sudão, vive uma pequena tribo Surma. Quase nada se sabe sobre eles. É muito difícil chegar lá, pois os Surma evitam o contato de todas as formas possíveis, e todos que os encontram falam de sua arrogância, sigilo e falta de vontade de se comunicar.

raça humana

Apenas muito recentemente, a expedição da Sociedade Geográfica da Islândia conseguiu não apenas alcançá-los, mas também viver entre a Surma por 6 meses e realizar pesquisas. Há muitas coisas diferentes, mas um fato é muito surpreendente.

Acontece que eles não se consideram humanos e afirmam que chegaram do céu, houve um desastre no planeta de onde vieram e assim perderam o contato com sua terra natal. Este não é um conto de fadas para turistas, pelo menos porque não há turistas lá, e os Surma em geral não gostam de falar sobre si mesmos. Os pesquisadores islandeses que parecem ter conseguido agradar a eles, tiveram que usar muitos truques para ganhar sua confiança.

Eles consideram os “humanos” uma espécie de nível inferior e não querem se comunicar com eles. No entanto, outra coisa é mais interessante. Pesquisadores islandeses não apenas acreditaram neles, mas também afirmam ter encontrado evidências da origem alienígena dessa misteriosa tribo. De fato, o mito de Surma sobre a origem e o deus Tugu também fala sobre isso.

Se isso é verdade ou não, é desconhecido e geralmente parece muito duvidoso, mas o fato é que eles não se consideram humanos é óbvio. A Surma, mesmo na aparência, faz de tudo para não parecer gente.

Com o fim da estação chuvosa, os homens Surma organizam lutas ferozes. De acordo com a tradição, adultos e crianças se entregam seriamente a um trabalho meticuloso à sua frente: eles pintam uns aos outros da cabeça aos pés com padrões intrincados. Talvez, significados profundos ocultos de uma cultura diferente e sinais secretos desconhecidos para nós estejam sob o capô dessas pinturas corporais, linhas e círculos sinuosos e padrões primorosamente bizarros.

LEIA MAIS
Novo projeto de lei dos EUA reúne signatários dos Acordos de Abraão contra o Irã
Metade dos judeus que vivem em Jerusalém são ortodoxos
RAFAEL lança míssil de precisão SPIKE NLOS 6ª geração

Feiticeiros da constelação de Touro

No alto das montanhas da Índia, no estado de Tamil Nadu, vivem algumas pessoas da tribo Toda. O fato de não serem locais é bastante óbvio. Os Toda diferem até mesmo externamente das pessoas vizinhas – são mais altos, mais robustos, muito mais leves e pessoas de olhos claros são frequentemente encontradas entre eles.

No entanto, eles próprios dizem que chegaram à Índia vindos da ilha do Sri Lanka. Tudo parece estar bem, mas então a estranheza começa. Claro, eles chegaram à Índia vindo do Sri Lanka, mas antes de chegar na ilha, segundo eles, vieram das estrelas. Além disso, eles dizem o nome do local que vieram a constelação do Touro . E portanto, eles não têm nada a ver com a humanidade.

Ninguém nega sua diferença das pessoas em geral. Os vizinhos geralmente os consideram feiticeiros e estão firmemente convencidos disso. De acordo com suas histórias, Todas podem curar pelo toque, seus cajados curtos são varinhas mágicas, eles têm poder sobre elefantes e tigres e podem até se transformar neles. Não são lendas sobre algumas pessoas misteriosas e distantes, são as palavras de seus vizinhos com quem se comunicam de perto e com frequência.

Eles têm um crescimento populacional incomum para a maioria das pessoas: 100 meninos nascem para cada 20 meninas. Por isso, o culto da mulher é pregado na tribo: mães, esposas, irmãs são respeitadas e reverenciadas desde a primeira infância. Os antropólogos ainda não desvendaram a língua e a cultura da tribo . E hoje não restam mais de 600 deles. Todos nunca roubam, são altruístas e não invejosos, não conhecem armas e não são capazes de matar – portanto são vegetarianos e altruístas.x

raça humana

A língua sagrada de Toda – kvorzha – não está associada a nenhuma das línguas da terra, antiga e moderna. E, em geral, ainda não foi decifrado. Os resultados da pesquisa biológica, ou melhor, sua ausência, também são surpreendentes. Há apenas uma frase muito incompreensível que a fórmula do sangue de Toda mostra grandes diferenças da universal. O que isso significa, decida por si mesmo.

Em geral, a ciência neste caso está em um impasse e uma grande variedade de hipóteses surgem, até o fato de que Toda é do continente afundado da Lemúria. Quanto ao próprio povo Toda, tudo é cristalino e todos os seus rituais e mitos estão ligados ao seu lar ancestral, a constelação do Touro, e eles acreditam que após a morte suas almas retornam às estrelas da pátria.

As pessoas do sol gato do Lago Titicaca

O povo Uru, que vive no alto das montanhas do Lago Titicaca, e está no lago, e não ao seu redor, afirma com absoluta seriedade que não são pessoas e apareceram ainda mais cedo que o sol, sem mencionar a Terra e a humanidade.

Eles afirmam que costumavam não se parecer com pessoas, mas de maneira bem diferente e que seu sangue é preto. Falando sobre sua aparência anterior, eles dizem que os baixos-relevos da cidade de Tiahuanaco (muito antigos e misteriosos) os retratam.

Eis o que os Uru contaram ao etnógrafo Jean Velard, que os estudou por muitos anos.

“Somos muito antigos, os mais antigos… Somos os habitantes do lago, gato-sol. Nós não somos humanos!” disseram ao etnógrafo Jean Velard.

raça humana

Seu modo de vida é muito peculiar e há uma maior resistência ao frio que podemos dizer que não parece humano, e sua linguagem não está associada a nenhuma outra. No entanto, nenhum estudo genético foi realizado, ou eles não foram publicados.

Então, por enquanto, tudo isso é pura mitologia e a questão permanece em aberto.

Surpreendentemente, geralmente as pessoas sempre se consideram humanas e muitas vezes o nome próprio das tribos é “pessoas reais”. 

Ao contrário, verifica-se que existem três tribos que se separam diligentemente do resto de nós e não desejam ter algo em comum com a humanidade.