Israel planeja remover todas as restrições até o dia 1 de março 

remover todas as restrições

Várias restrições do COVID-19 a viagens e turismo serão removidas pelo ministro da Saúde Nitzan Horowitz, depois que um acordo foi alcançado na quarta-feira à noite com funcionários do ministério, segundo a mídia israelense.

A exigência de apresentar testes negativos de COVID-19 antes de embarcar em um voo de volta para Israel será cancelada como parte do acordo. No entanto, os viajantes ainda serão obrigados a fazer o teste após o desembarque no Aeroporto Ben-Gurion.

Além disso, a quarentena obrigatória para israelenses não vacinados que retornam do exterior será cancelada também.

Este é o primeiro passo do plano relatado pelo primeiro-ministro Naftali Bennett de remover até 1º de março todas as restrições da Omicron atualmente em vigor. Uma reunião será realizada na quinta-feira para finalizar o plano para remover gradualmente as restrições, afirmou um relatório do N12, e a primeira fase pode entrar em vigor na próxima semana.

Israel agora pode reabrir para turistas, incluindo crianças que não foram autorizadas a entrar devido às regras de vacinação. Depois disso, a última das restrições do Green Pass será removida. Por enquanto, disse o relatório, as atuais restrições no sistema educacional e o mandato de uso de máscaras em lugares fechados permanecerão em vigor, mas isso será reconsiderado na próxima semana.

Booking.com

Houve 20.340 novas infecções por COVID-19 detectadas em Israel na terça-feira, com uma taxa de retorno positivo de 18,73% para os 108.571 testes de PCR e antígeno realizados, mostraram dados do Ministério da Saúde na manhã de quarta-feira.

O número de casos graves continua a cair , com 911 pacientes na noite de quarta-feira. Desse número, 327 estão em estado crítico, com 271 intubados e outros 28 em máquinas de ECMO.

Atentado brutal em Israel

A taxa de R caiu em relação ao dia anterior em mais 0,2 pontos, para 0,68, e os dados indicam uma redução de 42,4% em novos casos diários em comparação com sete dias anteriores.

O número de crianças em quarentena caiu drasticamente nas últimas semanas devido ao novo sistema de testes do governo que substituiu a quarentena obrigatória para todas as crianças que entraram em contato com um caso positivo de COVID-19.

Na manhã de quarta-feira, o número de crianças e adolescentes em idade escolar em quarentena era de 1.789, em comparação com 3.894 crianças até 19 anos que estavam em quarentena em 1º de fevereiro.

De acordo com um relatório da Rádio do Exército na manhã de quarta-feira, embora o plano de testes tenha sido estendido por mais duas semanas, não há testes rápidos suficientes disponíveis para as crianças cumprirem os requisitos de teste.

Cisjordânia é o ֿcoração de Israel, diz ator Jon Voight pai de Angelina Jolie

Há atrasos no Ministério da Saúde, no Ministério da Educação e no Comando da Frente Interna, tanto na aquisição quanto na distribuição dos testes.

Desde o início da pandemia, 9.687 mortes relacionadas ao COVID-19 foram registradas em Israel.

Porém como foi divulgado por um membro do governo, muitas das mortes foram de pessoas que estavam com covid mas não morreram de covid.

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.