Reta final em Israel antes de ‘referendo’ sobre Netanyahu

Benjamin Netanyahu
Benjamin Netanyahu

Os líderes dos principais partidos de Israel encaram nesta segunda-feira a reta final da campanha eleitoral, um dia antes das eleições legislativas de terça-feira que muitos comparam a um referendo sobre o futuro do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Pesquisas divulgadas pela imprensa apontam o Likud (direita) de Netanyahu, no poder há dez anos ininterruptos, e a formação Kahol Lavan (“Azul-Branco”) do ex-comandante do Exército Benny Gantz, empatados, com 32 assentos cada, de um total de 120 no Knesset, o Parlamento israelense.

“Raros são os momentos em que os eleitores se defrontam com duas opções tão diferentes, dois caminhos, e precisam escolher qual deles seguir”, opinou Benny Gantz em um artigo publicado nesta segunda nos principais jornais do país.

“Sob meu governo, o partido Azul-Branco mudará a direção do comando do Estado israelense em direção a mais democracia. As divisões vão terminar; pelo contrário, ações rápidas serão tomadas para formar um governo de união”, garantiu Gantz, que diz querer liderar o país “no interesse de todos os israelenses” e “não no interesse dos lobistas”.

Netanyahu é acusado por seus adversários de permanecer no poder graças ao apoio conquistado dentro dos partidos ultraortodoxos.

– “Esquerda e árabes” –

Nas rádios locais, Netanyahu elogiou seu balanço econômico – com o desemprego num mínimo histórico de 3,7% – e instou seus eleitores a votar em massa para impedir que “a esquerda e os árabes” assumam o poder.

Também atacou o centrista Gantz, a quem considera “de esquerda”, bem como a “lista unida” dos partidos árabes, hostis ao Likud, embora não estejam relacionados à “Azul-Branco”, e que poderiam desempenhar um papel fundamental na formação – ou não – de um governo de coalizão.

No domingo, Netanyahu cancelou seu último comício de campanha, uma estratégia de acordo com seus adversários para mobilizar seus eleitores.

Netanyahu prometeu na semana passada, caso vença as eleições, anexar todas as colônias judaicas no vale do Jordão, um território estratégico que representa aproximadamente 30% da Cisjordânia.

Fonte:

Viva Israel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Beco sem saída na política em Israel e Netanyahu pressionado após eleições

qui set 19 , 2019
O empate registrado nas legislativas israelenses de terça-feira (17) entre o partido do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o de seu grande rival, general Benny Gantz, aumenta a pressão sobre o chefe de governo e obriga os principais atores políticos a negociarem e fazerem concessões para formar uma coalizão. Premiê […]
Israel e Netanyahu