Segundo terremoto em menos de 24 horas

terremoto

Segundo terremoto em menos de 24 horas: os moradores do norte sentiram novamente hoje (domingo), apenas 12 horas após o tremor medido ontem com magnitude de 3,7. Relatos indicam que o terremoto foi sentido em Afula, Haifa, Vale do Jordão, Gilboa e Nazaré. 

De acordo com o Serviço Geológico, o terremoto ocorreu às 12h28 e teve magnitude de 3,5. A fonte do ruído – 16 km a sudeste de Tiberíades.

Lilach Stein diretora de uma escola disse que sentiu o tremor em seu escritório. “Enquanto assinava os boletins dos alunos senti um forte tremor por meio segundo. Saí imediatamente para saber se todos estavam bem, foi muito desagradável”, disse ela.

Maurice Cohen, coordenador técnico do município de Beit She’an, acrescentou que ouviu o alerta em seu trabalho. “Passamos por todos os escritórios e pedimos a todos que saíssem do prédio”, disse Cohen. 

O diretor da polícia municipal da cidade, Timur Shochat, disse que “estamos sempre preparados e alertas, mas desde ontem o alerta está mais alto que o normal”.

Booking.com

O terremoto da noite passada foi relativamente baixo em comparação com os anteriores sentidos na área, mas foi bem sentido em todo o norte devido à sua localização, no lado leste do vale Kinneret, a nordeste de Beit She’an. 

Cinco casos humanos de gripe aviária H5N6 relatados na China

A Divisão de Sismologia do Serviço Geológico publicou um gráfico esta manhã documentando as ondas após o terremoto na noite passada. O documento mostra o terremoto registrado em diferentes distâncias do epicentro, mostrando as ondas de pressão mais fracas (ondas primárias) chegando primeiro às estações de monitoramento – e depois as ondas secundárias mais fortes.

O diretor do Serviço Geológico, Prof. Zohar Gvirtzman, explicou que o terremoto ocorreu em uma das seções mais conhecidas da fenda do Mar Morto (a fenda sírio-africana). Localizada com precisão nesta manhã, o instituto descobriu que o foco estava na réplica oriental do Vale do Violino, no lado jordaniano do desfiladeiro. “Há uma característica especial do centro localizado no vale. É uma bacia que contém rochas moles e faz fronteira com rochas duras. Tais sub-bacias existem em todo o Rift do Mar Morto (área do Vale Hula e Beit She’an). O terremoto ocorreu nesta sub-bacia, um fenômeno chamado ‘amplificação local’.

Gvirtzman explica que “este é um efeito que lembra uma caixa ressonante, em que as ondas saltam de parede a parede e criam uma ressonância. A duração das oscilações aumenta e também é mais forte”. Devido ao mesmo efeito, o efeito de um terremoto de magnitude relativamente baixa, como foi na noite passada, é mais forte. “Este é um fenômeno conhecido que afeta inclusive o padrão de construção israelense a partir de 2009. Nessas áreas, quem deseja construir um edifício significativo é obrigado a contratar uma empresa que faça um levantamento específico do canteiro de obras, a fim de determinar a construção padrão.”

O prefeito de Safed, Shuki Ohana, disse esta manhã após o terremoto que era “um grande perigo batendo à nossa porta”, em suas palavras. “Todo mundo está falando sobre os desafios de segurança e a questão da frente interna na terceira guerra do Líbano, mas o norte tem um desafio maior que pode deixar mais destruição e devastação do que qualquer outra guerra”, disse Ohana. 

“Infelizmente, os projetos de fortalecimento de edifícios até agora se concentraram em áreas distantes da fenda sírio-africana. O grande perigo está na região da Galiléia, tanto em termos de proximidade com a fenda sírio-africana como pelo fato de muitos prédios serem antigos. O Estado de Israel deve mudar a equação, um terremoto poderoso não é uma questão de se vai acontecer, é uma questão de quando vai acontecer.”

Receitas Para Secar em 30 Dias

Ohana acrescentou que “o avanço dos projetos antiterremotos apenas na área costeira prova que, no final das contas, as cidades do norte não são de interesse do país. As cidades do norte podem realmente lidar com um terremoto sozinhas? empresários interessados ​​que trabalham apenas em Gush Dan? Se o estado não começar a abordar a questão imediatamente – bairros inteiros podem entrar em colapso, deixando destruição e ruína e ceifando muitas vidas.”

Após o terremoto, esta manhã, o chefe do Conselho Regional do Vale do Jordão, Idan Greenbaum, realizou uma avaliação da situação especial com o departamento de engenharia e o departamento de educação para garantir que todos os sistemas de alerta em instituições educacionais que deveriam alertar sobre um terremoto trabalhos. 

De acordo com Greenbaum, “Nós vivemos o medo todos os dias, mas esta noite os moradores de todo o país receberam um lembrete de que nós no vale vivemos na fenda sírio-africana e estamos no ponto mais problemático de Israel. Na faixa leste do país, os edifícios não foram reforçados contra terremotos. Espero que os tomadores de decisão no Estado de Israel entendam que isso é um alerta”.

1 comentário em “Segundo terremoto em menos de 24 horas”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.