GOOGLE SUPOSTAMENTE INFILTRADO POR “SEITA RELIGIOSA”

seita religiosa no google

Congelamento de contratações

Parece que pode ser muito fácil ser contratado pelo Google, contanto que você seja membro de uma seita religiosa incomum na Califórnia que acredita que a maioria das pessoas existe em um estado de “sono acordado”.

New York Times informou hoje que um grupo chamado Fellowship of Friends, que um dos repórteres da história descreveu como uma “seita religiosa semelhante a um culto”, ganhou poder na gigante da tecnologia e começou a contratar mais membros para o maior número possível de cargos. Embora a aquisição aparentemente esteja acontecendo há anos, o NYT diz que as alegações só vieram à tona porque um ex-funcionário está processando.

“Uma vez que você toma conhecimento disso, você se torna responsável”, disse Kevin Lloyd, ex-produtor de vídeo do Google, ao jornal sobre suas tentativas de tocar o alarme. “Você não pode desviar o olhar.”

LEIA MAIS
Navios russos na costa da Ucrânia se preparam para lançamento de míssil ‘maciço’
Netanyahu garante que Likud liderará o próximo governo
Bennett e a queda do governo: “Tomamos a decisão certa para Israel”

Repetir o desempenho

O processo também alega que o grupo construiu sua influência administrando uma agência de contratação que colocou contratados da seita em cargos abertos no Google.

O caso de Lloyd ainda está em fase de investigação, mas pode não parecer bom para os réus. Antes do caso atual, a mesma advogada que representava Lloyd ganhou US$ 6,5 milhões em danos em 2008 por uma cliente que não conseguiu ser promovida porque não era membro da Irmandade.

Quanto à Irmandade, o  NYT  relata que suas crenças são baseadas na ideia de que a “verdadeira consciência” pode ser adquirida através da apreciação pelas belas artes, e que o fundador do grupo afirmou ter sido contatado por “encarnações angelicais” de figuras falecidas das artes. incluindo Leonardo da Vinci e Johann Sebastian Bach.

NYT também conversou com o jornalista Jennings Brown, que produziu um podcast chamando a Irmandade de “culto do juízo final” e passou “três anos investigando a Irmandade e seus segredos obscuros”.

Muitas perguntas permanecem. Ficaremos de olho neste julgamento à medida que mais detalhes forem divulgados.