Síria fornecerá à Rússia 40.000 mercenários 

De acordo com a inteligência ucraniana, armas e outros equipamentos serão transferidos da Síria para a Rússia e a Bielorrússia em um futuro próximo.

mercenários 

O presidente sírio, Bashar Assad, prometeu fornecer cerca de 40.000 mercenários à Federação Russa para a guerra na Ucrânia, informou o Ministério da Defesa da Ucrânia (GUR) na tarde de quinta-feira.

De acordo com a inteligência ucraniana, armas e outros equipamentos serão transferidos da Síria para a Rússia e a Bielorrússia em um futuro próximo, informou o comunicado, além de até 40.000 mercenários.

Aumento de infecções por COVID em Israel, nova onda?

Um relatório de 13 de março da inteligência ucraniana indicou que a Rússia já havia aberto 14 centros de recrutamento em toda a Síria, em Damasco, Aleppo, Hamma, Raqqa e Deir ez-Zor, a fim de fortalecer suas forças. 

A Rússia supostamente está pagando aos mercenários estrangeiros um salário mensal entre US$ 300 e US$ 600 para lutar.

Booking.com

Dois dias antes, em 11 de março, foi relatado que o presidente russo, Vladimir Putin, permitiria que 16.000 voluntários do Oriente Médio se juntassem às forças apoiadas pela Rússia na região de Donbas, no leste da Ucrânia.

Ajude na manutenção do site doando qualquer quantia para o PIX – [email protected]

Os mercenários foram informados de que desempenharão “funções exclusivamente policiais para restaurar a ordem nos territórios ocupados”. No entanto, acrescentou o comunicado do GUR, “as informações sobre a participação direta nas hostilidades contra o exército ucraniano começaram a se espalhar entre os mercenários. Isso reduziu significativamente o ‘espírito de luta’ dos sírios”.

O moral dos mercenários sírios aparentemente também foi reduzido, segundo a mídia ucraniana, devido à chegada de mais de 30 militantes feridos das Forças Russas a uma base do exército, resultando em alguns decidindo se recusar a participar das hostilidades. 

Respondendo às notícias da intenção da Síria de enviar mercenários, a conta oficial do Ministério da Defesa ucraniano no Twitter compartilhou um comunicado, dizendo: “O Kremlin quer envolver as tropas sírias do regime de Assad na guerra contra a Ucrânia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.