Soldados israelenses treinam com a ajuda da realidade virtual

Um soldado israelense olha com cuidado para a passagem estreita e úmida esculpida na rocha. Ele não está em um dos túneis de ataque construídos pelo Hezbollah sob a fronteira do Líbano com Israel, mas faz parte de uma nova geração de soldados que usam a realidade virtual e a realidade aumentada para treinar.

Em uma pequena sala repleta de computadores, T., de 20 anos, um membro da Yahalom, ou Diamond – a unidade de operações especiais do corpo de engenharia de combate do exército – simula um avanço ao longo da passagem estreita.

Sua cabeça balança de um lado para o outro e para cima e para baixo, enquanto suas mãos sondam paredes invisíveis para o espectador.

“Vemos tudo, até gotas d’água caindo”, diz o soldado, que não pode ser identificado por razões de segurança.

“Eu realmente sinto que estou lá”, disse à AFP. “Sinto a umidade, a sensação de ser sufocado”.

O headset exibe todos os detalhes do túnel virtual – uma reconstrução de uma das várias infiltrações subterrâneas descobertas pelo exército – permitindo que os instrutores guiem T. em tempo real.

Em dezembro, o exército israelense lançou uma operação antitúnel na fronteira libanesa apelidada de “Escudo do Norte”.

Israel disse que encontrou seis túneis, enquanto oficiais da ONU confirmaram que três chegavam ao território do estado judeu.

O Hezbollah planejava usá-los para sequestrar ou matar soldados ou civis israelenses e tomar território em caso de hostilidades, segundo os militares.

Eles tinham dezenas de metros de comprimento e alguns atingiam uma profundidade de 55 metros.

Nos últimos dias, novas tensões surgiram entre o Hezbollah e Israel; o movimento xiita alinhado ao Irã culpou o Estado judeu por um ataque com drones em Beirute. Israel não comentou.

O chefe do Hezbollah, Hasan Nasrallah, afirmou que esta é a primeira “ação hostil” desde a guerra de 2006 entre seu movimento e o estado judeu. Ele ameaçou com retaliação.

O exército israelense também está à procura de túneis escavados na Faixa de Gaza, governada pelo Hamas.

O exército israelense diz que destruiu vários túneis que entravam em seu território e foram projetados como plataformas de lançamento de ataques.

O exército egípcio tem buscado e bloqueado vigorosamente os túneis de contrabando do seu lado da fronteira.

– ‘A tecnologia é essencial’ –

Até recentemente no domínio dos criadores de videogames, o mundo virtual fez nos últimos anos incursões em pesquisas médicas, aeroespaciais e militares, onde é cada vez mais usado para treinamento.

“A tecnologia é uma parte essencial da luta”, o que justifica investimentos pesados, diz H., comandante do centro de treinamento de Yahalom em uma base militar no centro de Israel.

Os túneis do Hezbollah expostos por Israel foram escaneados digitalmente e aparecem no headset de um soldado na forma como são na realidade.

Como nem sempre é possível treinar em campo, o mundo virtual permite que os militares se familiarizem com um ambiente subterrâneo hostil sem sair de sua base, afirmou H.

Há uma dúzia de soldados no curso atual; 100 já passaram por ele desde que começou, há três anos.

Enquanto a realidade virtual (VR) busque colocar a pessoa em um mundo simulado, a realidade aumentada (AR) permite que elementos sejam adicionados em um ambiente do mundo real. Ambas visam proporcionar uma experiência multissensorial.

Os soldados podem experimentar cenários em que existem obstáculos como buracos, cabos ou dispositivos explosivos e simular os movimentos das mãos de que necessitam para desarmar uma bomba real.

“Existem elementos que podemos enfrentar em um túnel que são difíceis de reproduzir”, como a umidade, diz o comandante, mas a técnica serve como uma boa introdução ao assunto.

“Não é muito agradável estar a dezenas de metros de profundidade, isolado do mundo”, diz T. “Tudo o que pode ajudá-lo a se preparar é importante”.

Ele diz que o treinamento eletrônico o deixou “mais pronto para entrar em um túnel” na vida real.

Não muito longe da “sala de realidade virtual” existe um modelo físico de um túnel do Hamas, onde os soldados podem realizar exercícios de combate, aperfeiçoando o que aprenderam através da realidade virtual.

Três soldados entram, com os rostos coberto por balaclavas e metralhadoras nas mãos enquanto se movem pela passagem na rocha, estreita e escura.

Viva Israel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Matisyahu - Jerusalem (Out Of Darkness Comes Light)

qua ago 28 , 2019