Temores de guerra nuclear, alerta Israel

guerra nuclear

O Irã está perigosamente perto de colocar as mãos em uma bomba nuclear, alertou Israel.
E o Ocidente deve enfrentar a crescente ameaça do regime de se tornar uma potência nuclear, acrescentou o primeiro-ministro Naftali Bennett .

Ele disse ao Telegraph : “ O Irã está enriquecendo urânio a uma taxa sem precedentes e se aproximando perigosamente de colocar as mãos em armas nucleares”.
Acredita-se que o estado tenha enriquecido urânio em níveis superiores a 60%, fornecendo material suficiente para construir uma bomba.

Sua capital, Teerã, nega a construção de armas nucleares. Mas Bennett pediu que a Grã-Bretanha mantenha sua pressão sobre os líderes do país.

Bennett acrescentou: “Sem pressão do Ocidente, o regime islâmico no Irã pode colocar as mãos em uma bomba nuclear muito em breve. “O mundo deve tomar uma posição firme e dizer ao regime islâmico: sem armas nucleares, sem sanções.

“O programa nuclear do Irã não vai parar até que seja parado.” O Irã reiniciou o trabalho em seu programa nuclear quando o presidente Donald Trump se retirou de um acordo nuclear em 2018.

As negociações para restaurar o acordo estão paralisadas. E diplomatas ocidentais estão abandonando a esperança de revivê-la porque acreditam que o regime está construindo uma bomba, acreditam autoridades israelenses.

A agência atômica da ONU disse esta semana que Teerã não está cooperando com as investigações sobre seu programa nuclear. Ele desligou pelo menos duas das câmeras de vigilância da agência para monitorar instalações nucleares.

Em agosto passado, temia-se que o Irã estivesse a dez semanas de ter uma arma nuclear . Ele veio quando o novo presidente linha-dura Ebrahim Raisi, apelidado de Açougueiro de Teerã por suas duras punições, foi empossado como líder.

LEIA MAIS
Putin está “se preparando para matar de fome grande parte do mundo em desenvolvimento” para vencer a guerra da Rússia na Ucrânia, diz historiador de Yale
Colonos e palestinos buscam juntos uma ponte para a paz: “Queremos viver uma vida normal”
170.000 pessoas participaram de Parada do Orgulho LGTB em Tel Aviv