Profecia de Vanga sobre a Terceira Guerra Mundial está se cumprindo?

Terceira Guerra Mundial

Nas últimas décadas, o interesse pela clarividente búlgara, Baba Vanga, caiu drasticamente devido a um certo número de não cumprimentos de profecias atribuídos a ela, embora a maioria delas fossem especulações não documentadas. Não esqueçamos que a profecia de Vanga sobre os cinco “dois”, em 22 de fevereiro deste ano, infelizmente para todos, foi confirmada.

Como um prelúdio para a terceira guerra mundial, ela também apontou eventos na Síria, uma certa cadeia de ações que provavelmente se tornarão realidade.

Há alguns dias, surgiram online as primeiras informações de que a Rússia ordenou a transferência de tropas da Síria para a Ucrânia para acelerar a captura de Donbass, segundo uma fonte do The Moscow Times. No total, existem mais de 60 mil militares russos na Síria, quase metade deles são oficiais.

Segundo analistas, a ideia da transferência visa resolver a questão do reabastecimento de soldados sem declarar uma mobilização geral em Moscou.

A Síria, a este respeito, é uma opção de reabastecimento. Além disso, não apenas militares serão arrastados de lá, mas também equipamentos, que, como ficou conhecido, atualmente não são suficientes nem para desfiles. Em particular, em certas cidades russas, os desfiles com colunas blindadas foram cancelados e, na capital de Moscou, os tanques perdidos do desfile foram substituídos por aeronaves.

Em geral, não há tanques e canhões antiaéreos suficientes para a Parada da Vitória. Metade do equipamento pesado entrou na Praça Vermelha como em 2020, provavelmente devido às grandes perdas de equipamentos na Ucrânia, segundo Alexander Oliver, pesquisador militar da Dinamarca.

Como a situação na Síria agora é complicada, Irã, Turquia, Estados Unidos e Israel estão na área há muito tempo. Existe a possibilidade, como muitos calcularam corretamente, de que a Rússia enfrente outra frente aberta em Latakia, onde qualquer resultado do conflito é desconhecido.

À luz dessa perspectiva óbvia, é impossível não lembrar da profecia de Vanga sobre “a Síria ainda não caiu”.

Ninguém pode recontar com precisão essa profecia agora. De acordo com uma versão, Vanga disse o seguinte:

Se a Síria cair amanhã, o mundo inteiro não terá muito tempo.”

De acordo com outra versão, ela foi perguntada:

Quando será o fim do mundo?

Ao que Vanga respondeu:

Não em breve, a Síria ainda não caiu”.

Há também versões em que a queda da Síria se tornará o ponto de partida para uma guerra nuclear, e o surgimento de uma religião de uma certa Fraternidade Branca. Ao mesmo tempo, com todas as opções, Vanga também disse que “a Síria vai desmoronar aos pés do vencedor, mas o vencedor será o errado!

Se alguma nova guerra vitoriosa acontecer na Síria, a Rússia não terá ninguém para enviar para lá, e nada a ver com isso. É quando a profecia de Vanga pode se tornar realidade.

Os arqueólogos podem encontrar a Arca da Aliança?

A mobilização geral na Rússia está sendo preparada

Enquanto isso, é interessante ouvir o que os presidentes e primeiros-ministros de países como os EUA e o Reino Unido têm a dizer. Em particular, Boris Johnson, por exemplo, disse em 8 de maio que apenas a ajuda militar à Ucrânia não é suficiente para protegê-la contra a Rússia:

“A ajuda militar à Ucrânia não é mais suficiente para defendê-la.”

Diante disso e por precaução, o Reino Unido aumentou o número de ogivas em cada um de seus mísseis nucleares Trident II.

A notícia da mudança, que segue a decisão do ano passado de aumentar o estoque geral de ogivas, veio antes das celebrações de 9 de maio em Moscou, que enviou outra “mensagem do fim do mundo” ao Ocidente.

No dia 9 de maio e pela primeira vez desde 2010, o desfile foi realizado com a participação da aeronave de comando Doomsday Il-80, na qual a alta liderança de Moscou será salva em caso de guerra nuclear.

No entanto, eventos igualmente interessantes estão se formando…

Assim, é muito provável que por volta de 16 de maio, a mobilização seja anunciada na Rússia, embora faça pouco sentido, pois a mobilização leva tempo. Primeiro, para recrutar, depois para treinar e formar a partir de unidades mobilizadas.

Quanto à economia russa, que já está desmoronando sob o jugo das sanções, será um golpe mortal.

A mobilização só atrasará o inevitável e sem o uso de armas nucleares, a Rússia não poderá fazer nada.

Vladimir Putin não disse em vão:

“Por que precisamos de um mundo onde não haverá Rússia? Nós, como mártires, iremos para o céu, e todos eles simplesmente morrerão.”

Tais palavras simplesmente não são ditas, especialmente de forma contínua. Então eles realmente pensam sobre isso e consideram essa opção bem possível.

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.