Tratamento testado em Israel ajudou 100% dos pacientes

Segundo a empresa Pluristem, além de todos os pacientes terem sobrevivido, quatro deles apresentaram melhora nos parâmetros respiratórios.

Tratamento
Biólogos trabalham em um laboratório na Pluristem Therapeutics Inc. em Haifa (crédito da foto: BAZ RATNER / REUTERS)

Seis pacientes com coronavírus considerados de alto risco e que estavam internados foram tratados com um produto israelense e tiveram melhora expressiva. O tratamento celular utilizado é baseado no uso de placenta.

Os pacientes foram tratados em três centros médicos diferente ao longo de uma semana. Todos tinham dificuldades respiratórias devido ao Covid-19. Quatro deles também tinham falência de outros órgãos do sistema cardiovascular ou do rim.

Segundo informações do jornal israelense The Jerusalem Post, com o tratamento, quatro entre os seis pacientes mostraram melhora nos parâmetros respiratórios e três pessoas deixaram de usar ventiladores.

O presidente da Pluristem, Yaky Yanay, explica que as células PLX, usadas no tratamento, têm propriedades imunológicas e ajudam esse sistema a se regularizar. O uso delas pode causar uma hiperatividade do sistema imunológico reduzindo assim sintomas fatais como a pneumonia.

Estudos anteriores mostraram que as células PLX tiveram efeitos significativos em estudos com animais com hipertensão pulmonar, gastroenterite, problemas agudos no rim e outras doenças.

Booking.com

Sendo assim, a Pluristem já está em contato com agências reguladoras nos Estados Unidos e na Europa para definir a estratégia no combate a Covid-19.

A pergunta é: Será que aqueles que odeiam e pregam o boicote a tudo que vem de Israel, aceitariam o tratamento ou iriam preferir a morte?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.