Um judeu ultraortodoxo se alistou no exército ucraniano para lutar contra a invasão russa

David Cherkassky vem de uma das maiores comunidades judaicas da Europa, dizendo que era jovem demais para se alistar em 2014, quando a Rússia invadiu e anexou a Crimeia, mas agora pretende proteger seu país contra a agressão russa.

Quando a Rússia atacou a Ucrânia no maior ataque a um Estado europeu desde a Segunda Guerra Mundial, o ucraniano David Cherkassky não teve duvidas em se alistar no exército para combater a invasão.

Cherkassky é um judeu ultraortodoxo que vive no leste da Ucrânia. Seu pai se alistou no exército em 2014, quando os russos invadiram e anexaram a península da Crimeia. Este jovem agora queria seguir os passos de seu pai.

David Cherkassky e seu pai, ambos membros do exército ucraniano.

“Este é o nosso país e muitos judeus vivem nele. Estamos a cerca de 300 quilômetros de Donetsk [proclamada como República Popular de Donetsk pelos separatistas russos que o controlam] e acho que temos a maior comunidade judaica da Europa”, diz ele.

Cherkassky acrescentou que a comunidade judaica foi organizada em 1991, quando o rabino Shmuel Kamintzky, do movimento Chabad, chegou à cidade após a queda da União Soviética.

Booking.com

A comunidade judaica na Ucrânia é estimada em 250.000 pessoas. “Se encontrarmos russos em nossa cidade, devemos capturá-los e matá-los. Podemos ser implantados em Kiev ou onde quer que haja combates”, diz ele.

Separatistas pró-Rússia em Lugansk, no leste da Ucrânia.

Quando perguntado se tem medo do que pode acontecer, Cherkassky diz que quem não tem medo é um tolo. “Vejo pessoas morrendo desde 2014, algumas perderam membros, então sim, estou com medo”, diz ele. “Você pode conversar com alguém um dia e ouvir que foi assassinado no dia seguinte”, acrescentou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.