Segundo caso de varíola dos macacos em Israel

varíola em Israel
Imagem ilustrativa: Brian W.J. Mahy/OMS/CDC

O Ministério da Saúde de Israel anunciou que um segundo caso suspeito de varíola dos macacos foi detectado.

A pessoa suspeita de estar doente voltou recentemente de uma viagem à Europa Ocidental e está atualmente sendo testada para varíola, informou a mídia israelense. Ele está sendo tratado no Centro Médico Barzilai em Ashkelon e está em boas condições.

A identidade do paciente é desconhecida, mas foi confirmado que ele tem 27 anos e trabalhava em um navio de carga atracado em Ashdod. No entanto, ele está completamente isolado e não teve contato com outros pacientes no hospital.

“Estamos falando de um vírus que tem sintomas leves e só pode ser transmitido em contato muito próximo”, disse o professor Salman Zarka, comissário de coronavírus e atual chefe do Ziv Medical Center em Safed, à KAN Reshet Bet Domingo de manhã. 

Zarka garantiu aos ouvintes que, neste momento, não há necessidade de uma campanha de vacinação em massa.

Se confirmado, isso tornaria este o segundo caso de varíola em Israel. O primeiro caso foi diagnosticado na sexta-feira e é um homem não identificado na casa dos 30 anos que também retornou de uma viagem à Europa Ocidental. Ele foi relatado pela última vez em condição estável, mas estava sendo mantido em quarentena. 

Casos deste vírus estão surgindo em toda a Europa e quase 100 casos foram confirmados em todo o mundo.

Embora o caso ainda não tenha sido confirmado, o diretor-geral do Ministério da Saúde, Nachman Ash, disse ao 103FM que provavelmente haverá mais casos em Israel. No entanto, ele afirmou ainda que, embora muito contagiosa, a varíola dos macacos não é tão perigosa quanto o COVID-19.

O vírus da varíola dos macacos está intimamente relacionado à varíola, uma doença infame que remonta aos tempos pré-históricos até ser declarada totalmente erradicada em 1980.

Embora geralmente não seja fatal e existam alguns tratamentos aprovados, não há vacina oficial para a varíola dos macacos. Em vez disso, as vacinas contra a varíola geralmente são usadas devido às semelhanças nas doenças.

De fato, uma vacina, JYNNEOS (também conhecida como Imvamune ou Imvanex) foi licenciada nos EUA para prevenir a varíola e a varíola dos macacos e acredita-se que seja 85% eficaz, de acordo com os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças (CDC). No entanto, como a varíola foi erradicada, o público em geral não tem acesso imediato às vacinas contra a varíola.

Profecia de Vanga sobre a Terceira Guerra Mundial está se cumprindo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.